Interceptação de luz, matéria seca e área foliar de linhagens de algodoeiro herbáceo

Analice Fernandes da Silva, Fanuel Pereira da Silva, João Bosco Pitombeira, Levi de Moura Barros, Ana Paula Leite Bezerra

Resumo


O desenvolvimento de novas variedades de algodoeiro herbáceo, Gossypium hirsutum L., contendo características morfológicas diferenciadas, poderá ajudar a minimizar os riscos de frustração das safras provocadas por insetos e doenças. O programa de melhoramento genético conduzido pela Universidade Federal do Ceará desenvolveu oito linhagens experimentais contendo mutantes morfológicas para forma de folha, tipo de bráctea e cor da planta. Os objetivos da presente pesquisa foram avaliar os padrões de crescimento e a quantidade de interceptação de luz de oito linhagens experimentais do programa mencionado. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com nove tratamentos e quatro repetições. Cada parcela foi constituída de quatro linhas, com trinta plantas espaçadas de 0,8 x 0,2 m. As linhagens com as combinações folha normal, bráctea frego e cor verde apresentaram a maior percentagem de interceptação de luz, com valor igual a 45,3% aos 90 dias após o plantio, enquanto a linhagem com as combinações folha okra, bráctea frego e cor verde apresentou o menor percentual, em torno de 22%. Com relação a matéria seca, a cultivar CNPA-7H usada como testemunha, apresentou 87 gramas/planta, enquanto a linhagem com folha okra , bráctea frego e cor verde, com apenas 48 gramas/planta. Todas as linhagens com folha okra apresentaram menores áreas foliares em todas as fases de avaliação.


Palavras-chave


Upland cotton, okra leaf, frego bract, red plant, mutants.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.