Estresse hídrico induzido por manitol em cultivares de algodão

Fábio Rafael Echer, Ceci Castilho Custódio, Silvério Takao Hosomi, Júlio César Dominato, Nelson Barbosa Machado Neto

Resumo


Este trabalho teve por objetivo avaliar os efeitos causados pela deficiência hídrica induzida por manitol no crescimento inicial de plântulas de algodão. O experimento foi conduzido em dezembro de 2007 em Presidente Prudente - SP. Utilizou-se o delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4x5, com 3 repetições. Os tratamentos foram gerados da combinação de quatro 4 cultivares de algodão (LD CV Frego; LD CV 02; FMT 701 e IAC 25) e cinco níveis de deficiência hídrica (0; -0,3; -0,6, -0,9 e -1,2 MPa) obtidos a partir de soluções de manitol. Potenciais hídricos da ordem de -0,9 MPa diminuíram significativamente a taxa de crescimento das plântulas de algodão. A diminuição do potencial hídrico reduziu a produção de massa seca da parte aérea de todos os cultivares e, aumentou a produção de massa seca da raiz até o potencial de -0,6 MPa. O cultivar LD CV 02 foi o que melhor se desenvolveu sob deficiência hídrica.


Palavras-chave


Gossypium hirsutum; Deficiência hídrica; Plântulas

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.