Colonização micorrízica e nodulação radicular em mudas de sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth.) sob diferentes níveis de salinidade

Rodrigo Castro Tavares, Paulo Furtado Mendes Filho, Claudivan Feitosa de Lacerda, Joedna Silva

Resumo


O sabiá (Mimosa caesalpiniaefolia Benth.) é uma espécie vegetal nativa do nordeste brasileiro e reúne algumas características fundamentais para compor programas de reabilitação de áreas salinizadas, principalmente quanto associado aos fungos micorrízicos arbusculares (FMAs) e a bactérias fixadoras de nitrogênio (BFN). O objetivo do presente estudo foi avaliar a colonização micorrízica e a nodulação radicular de mudas de sabiá adubadas com composto orgânico e irrigadas com águas de diferentes condutividades elétricas. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, com delineamento experimental inteiramente casualizado, em esquema fatorial com 2 (presença e ausência de fungos micorrízicos arbusculares) x 2 (presença e ausência de composto orgânico) x 5 níveis de condutividade elétrica da água de irrigação (0,7; 1,2; 2,2; 3,2 e 4,2 dS m-1), com 3 repetições. Os resultados obtidos indicam que: a salinidade reduziu a colonização micorrízica e a nodulação radicular das mudas de sabiá; a intensificação das condições de estresse salino aumentaram a dependência micorrízica das mudas de sabiá; a colonização das mudas de sabiá com os FMAs proporcionou aumentos na matéria seca dos nódulos radiculares da ordem de 1900%; as micorrizas arbusculares reduziram o pH após o cultivo do solo; e a adição de vermicomposto não promoveu efeito sobre a colonização micorrízica das mudas de sabiá, entretanto, aumentou a produção de matéria seca dos nódulos radiculares.


Palavras-chave


Sabiá (árvore); Salinidade; Microssimbiontes

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.