Sorologia e sobrevivência do vírus do amarelo letal do mamoeiro

Ana Lúcia Lopes do Nascimento, José Albersio de Araújo Lima, Aline Kelly Queiroz do Nascimento, Maria de Fátima Barros Gonçalves

Resumo


O vírus do amarelo letal do mamoeiro (Papaya lethal yellowing virus, PLYV) é responsável por uma das principais doenças do mamoeiro (Carica papaya) no Nordeste brasileiro. O PLYV pode ser transmitido através do solo, água, instrumento de corte e mãos contaminadas. A presente pesquisa teve como objetivo estudar as características biológicas, sorológicas e físicas de um isolado do vírus e avaliar sua sobrevivência em tecido seco infetado. O PLYV foi detectado por "Enzyme linked immunosorbent assay" (ELISA) indireto e isolado em mudas de mamoeiro, através da inoculação mecânica. A sobrevivência do PLYV em folhas e raízes secas de mamoeiro infetado foi avaliada por sorologia e inoculação em plantas sadias. A presença do vírus foi detectada em folhas e raízes de mamoeiro secas, indicando que o vírus pode permanecer ativo em restos de cultura por até 120 dias. A purificação do PLYV permitiu a obtenção de 309.5 mg de vírus/kg de folha e o anti-soro obtido mostrou-se altamente específico, com títulos de 1:128 em dupla difusão em Agar e 1:1.024.000 em Elisa indireto. Estudos das propriedades físicas do PLYV em mamoeiro revelaram um ponto de inativação térmica (PIT) em torno de 80 ºC, um ponto máximo de diluição (PMD) de ac. 10-6 e uma longevidade in vitro (LIV) acima de 50 dias.


Palavras-chave


Carica papaya; PLYV; Papaya lethal yelloing virus

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.