Anatomia foliar e potencial hídrico na tolerância de cultivares de café ao estresse hídrico

Luiz Antônio Batista, Rubens José Guimarães, Fabrício José Pereira, Gladyston Rodrigues Carvalho, Evaristo Mauro de Castro

Resumo


A cultura do café é de expressiva importância no mercado internacional, com uma produção anual de cerca de 120 milhões de sacas beneficiadas e no Brasil, é responsável pela geração de mais de dez milhões de empregos diretos e indiretos. O estresse hídrico é um fator ambiental que pode ser extremamente prejudicial para a cultura do café, sendo que a seleção de cultivares tolerantes é de grande importância, principalmente diante da expansão da cafeicultura brasileira para áreas consideradas marginais para o cultivo do café por estarem sujeitos à deficiência hídrica. Nesse trabalho foram avaliadas 15 cultivares de Coffea arabica quanto ao status hídrico e às características da estrutura interna das folhas, verificando quais dessas cultivares são potencialmente mais eficientes em tais condições. Dentre as cultivares estudadas destacam-se a Bourbon Amarelo e a Catimor como potencialmente mais eficientes em condições de estresse hídrico por possuírem: maior potencial hídrico, cutícula mais espessa, maior proporção de parênquima paliçádico, maior espessura da nervura central e maior densidade estomática em relação às demais variáveis. Dessa forma, as cultivares Bourbon Amarelo e Catimor são potencialmente mais eficientes na redução da transpiração, fotossíntese e translocação de fotossintatos em condições de estresse hídrico, sendo mais indicadas ao plantio em regiões sujeitas a maiores déficits hídricos em relação às demais cultivares estudadas.


Palavras-chave


Coffea arábica; Plasticidade anatômica; Deficiência hídrica

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.