Adubação NPK e épocas de plantio para mamoneira. II - Componentes das fases vegetativas e reprodutivas

Manoel Alexandre Diniz Neto, Francisco José Alves Fernandes Távora, Lindbergue Araujo Crisóstomo, Belísia Lúcia Moreira Toscano Diniz

Resumo


Neste trabalho objetivou-se avaliar os componentes das fases vegetativa e reprodutiva de cultivares de mamona submetidas a diferentes níveis de adubação mineral, épocas de plantio e localidades. Os experimentos foram conduzidos no CCA/UFC, em Pentecoste, e no CENTEC, em Limoeiro do Norte, entre janeiro e outubro de 2006. Foram utilizadas quatro doses de NPK (00-00-00; 40-25-15; 80-50-30 e 120-75-45 de N-P2O5-K2O), duas cultivares (BRS nordestina e Mirante 10), duas épocas de plantio (plantio antecipado e plantio em sequeiro) e duas localidades (Pentecoste e Limoeiro do Norte); distribuídos no delineamento de blocos ao acaso, com quatro repetições de um arranjo fatorial 4x23. Em Pentecoste a cv. Mirante 10 aumenta seu crescimento, em altura, diâmetro caulinar e número de racemos, e prolonga seu florescimento quando há aumento no fornecimento de nutrientes conjugado à suplementação hídrica no plantio antecipado. Em Limoeiro do Norte a cv. BRS Nordestina produz racemos maiores, em plantio sob sequeiro, devido ao menor número de racemos produzidos, ensejando menor competição entre mesmos na planta. A menor quantidade de água disponível às plantas no cultivo de sequeiro, mais evidente em Limoeiro do Norte, afeta as estruturas vegetativas e reprodutivas da mamoneira, sendo um fator mais importante que altitudes inferiores a 300 m.

Palavras-chave


Ricinus communis L. Fenologia vegetal. Manejo cultural. Nutrição Mineral.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.