Associação de desempenho entre famílias S3 e seus híbridos topcross de milho-pipoca

Emmanuel Arnhold, José Marcelo Soriano Viana, Ricardo Gonçalves Silva

Resumo


O topcross é utilizado no melhoramento do milho, principalmente para prever o comportamento de famílias endogâmicas em cruzamento, descartando aquelas de desempenho inferior. Isso é feito porque o comportamento per si de famílias endogâmicas não é um bom preditor de seu comportamento em cruzamento. Este fato é evidenciado por diversos trabalhos onde foram encontradas baixas correlações entre desempenho per si e em cruzamento para alguns caracteres. Porém, quanto à capacidade de expansão, não se encontram trabalhos de correlação entre desempenho per si e em cruzamento. Portanto, objetivou-se analisar a associação de desempenho entre famílias S3 da população de milho-pipoca Beija-Flor e seus respectivos híbridos topcross, considerando rendimento de grãos e capacidade de expansão. Utilizou-se a população de milho-pipoca Viçosa como testador. As correlações entre famílias S3 e seus híbridos foram baixas. Variaram de 0,09 a 0,17 para rendimento de grãos e de 0,34 a 0,58 para capacidade de expansão. Diferenças ambientais e fatores genéticos não aditivos foram as principais causas das baixas correlações. As maiores correlações encontradas para capacidade de expansão em relação às encontradas para rendimento de grãos foram devidas, principalmente, a capacidade de expansão ser um caráter menos influenciado por fatores gênicos não aditivos e pelo ambiente.

Palavras-chave


Milho híbrido. Zea mays L.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.