Capacidade de combinação em milho para resistência a Cercospora zeae-maydis

Marcio José Engelsing, Diane Simon Rozzetto, Jefferson Luís Meirelles Coimbra, Claitson Gustavo Zanin, Altamir Frederico Guidolin

Resumo


A resistência obtida pelo componente genético é um dos métodos mais eficientes de controle das doenças foliares da cultura do milho. Para avaliar a capacidade geral de combinação (CGC), capacidade específica de combinação (CEC), recíprocos, efeito materno e não-materno para resistência a Cercospora zeae-maydis, cinco linhagens (A, B, C, D e E) foram cruzadas e os vinte híbridos obtidos foram utilizados em experimentos conduzidos em três ambientes. Foram avaliados a severidade da cercosporiose (CP) no estádio fenológico R5 e o rendimento de grãos (RG) na colheita. A análise dialélica demonstrou que ocorreu interação significativa (P < 0,05) híbridos versus locais para as variáveis CP e RG. D e E foram os melhores genitores para a para a variável cercosporiose de acordo com a CGC. Na média dos locais as melhores combinações híbridas, conforme a CEC foram AxD, BxE, AxE e BxC, com estimativa de aumento nos rendimentos de grãos, devendo ser recomendado a continuação destes híbridos no programa de melhoramento da empresa.


Palavras-chave


Zea mays L.; Análise dialélica; Cercosporiose; Rendimento

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.