Qualidade de mamão ‘Formosa’ produzido no RN e armazenado sob atmosfera passiva

Paula Lidiane de Oliveira Fernandes, Edna Maria Mendes Aroucha, Pahlevi Augusto de Souza, Aline Ellen Duarte de Sousa, Patrícia Liane de Oliveira Fernandes

Resumo


Este trabalho teve por objetivo avaliar o efeito da cera de carnaúba (Primax Wax) e filme plástico de polietileno de baixa densidade "X-tend" sobre a vida útil pós-colheita de mamão ‘Formosa’ (Tainung 1) produzido em Baraúna – RN. O experimento foi conduzido no laboratório de Pós-colheita da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA). Utilizou-se um esquema fatorial 3 x 6 com 3 repetições de três frutos por parcela, constituindo na combinação de 3 tipos de atmosferas (cera, filme de polietileno e controle) com 6 tempos de armazenamento (0; 7; 14; 21; 28; 35). Os frutos dos distintos tratamentos foram armazenados em câmaras frias a 10 ± 2 °C e UR 90 ± 5%, analisados em intervalos de sete dias. As características avaliadas foram: aparência externa, perda de massa, firmeza da polpa, sólidos solúveis, acidez titulável e vitamina C. Constatou-se ser o filme plástico o mais eficiente em manter a qualidade externa e reduzir a perda de massa dos frutos. A cera de carnaúba, na concentração utilizada, mostrou eficiência relativa na conservação de mamão quando comparada ao filme plástico. A vida útil pós-colheita dos frutos mantidos sob atmosfera modificada foi de 35 dias e do controle apenas 28 dias.

 

 

Palavras-chave


Carica papaya L.; Alimentos-armazenamento; Fruta-conservação

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.