Sunflower fertigated with potassium fertilization in two agricultural seasons in the Brazilian semiarid region

Allysson Pereira dos Santos, Francilene de Lima Tartaglia, Almir Rogério Evangelista de Souza, Manoel Galdino dos Santos, Lindomar Maria da Silveira, Aurélio Paes Barros Júnior

Resumo


The objective of this study was to evaluate the effect of potassium doses on the production components of sunflower cultivars grown in the semiarid climate region. The experiment was carried out in two agricultural seasons, in 2016 and 2017, at the Rafael Fernandes Experimental Farm, Mossoró, RN, Brazil. The experimental design used was randomized blocks, in split plots, with four replicates. Five potassium doses were evaluated in the plots: 0, 30, 60, 90 and 120 kg ha-1 of K2O, and four sunflower cultivars were evaluated in the subplots: Aguará 6, Altis 99, Multissol and BRS 122. The evaluated characteristics were: K content in the diagnostic leaf (KDL), thousand-achene weight (TAW), achene yield (AY), oil content (OC) and oil yield (OY). Potassium doses directly influenced agronomic variables, promoting better performance. The best K2O doses for sunflower yield were 77.7 and 80.2 kg ha-1 in the first season for the cultivars Altis 99 and Aguará 6, and 65.9 and 69.5 kg ha-1 in the second season for Altis 99 and Aguará 6. In the first season, the production results were higher than in the second, and the cultivars Aguará 6 and Altis 99 obtained the highest achene yield and oil yield in both agricultural seasons.

Palavras-chave


Helianthus annuus L.; Potassium doses; Plant nutrition; Yield; Oilseed crop

Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, R. G. et al. Crop evapotranspiration: guidelines for computing crop water requirements. Rome: FAO, 1998. p. 30-50.

AQUINO, L. A.; SILVA, F. D. B.; BERGER, P. G. Características agronômicas e o estado nutricional de cultivares de girassol irrigado. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v.17, n.5, p.551-557, 2013.

BRAGA, D. F. Nitrogen and phosphorus fertilization of sunflower crop in alkaline Cambisol. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 22, n. 2, p. 101-106, 2018.

BEZERRA, F. T. C. et al. Comportamento vegetativo e produtividade de girassol em função do arranjo espacial das plantas. Revista Ciência Agronômica, v. 45, n. 2, p. 335-343, 2014.

CARMO FILHO, F; OLIVEIRA, O. F. Mossoró: um município do semi-árido nordestino, caracterização climática e aspecto florístico. Mossoró: ESAM, 1995. 62 p. (Coleção Mossoroense, série B).

CASTRO, C. et al. Nutrição e fertilização de girassóis no cerrado brasileiro. In: Arribas, J. E. (ed.). Girassóis: crescimento e desenvolvimento, influências ambientais e pragas/doenças. Nova Iorque: Nova Science Pubs, 2014. p. 257-279.

CASTRO, C. et al. Sistema produtivo de girassol para a produção de biodiesel. In: CASTRO, A. M. G.; LIMA, S. M. V.; SILVA, J. F. V. (org.). Complexo agroindustrial de biodiesel no Brasil: competitividade das cadeias produtivas de matérias-primas. Brasília, DF: Embrapa Agroenergia, 2010. p. 376-420.

CASTRO, C.; LEITE, R. M. V. B. C. Main aspects of sunflower production in Brazil. Oilseeds and fats, Crops and Lipids, v. 25, n. 1, p. 104-115, 2018.

CAVALCANTE JUNIOR, E. G. et al. Necessidade hídrica da cultura do girassol irrigado na chapada do Apodi. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 17, n. 3, p. 261-267, 2013.

COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO (BRASIL). Série histórica das safras: Girassol. 2019. Disponível em: https://www.conab.gov.br/info-agro/safras/serie-historica-das-safras?start=20. Acesso em: 21 out. 2019.

CORTEZ, J. W. M. et al. Crecimiento, acumulación de macronutrientes y producción de melóncantaloupo y amarillo. Revista Caatinga, v. 27, n. 3, p. 72-82, 2014.

DALCHIAVON, F. C. et al. Características agronômicas e suas correlações em híbridos de girassol adaptados à segunda safra. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 51, n. 11, p. 1806-1812, 2016.

DALCHIAVON, F. C.; MALACARNE, B. J.; CARVALHO, C. G. P. de. Características agronômicas de genótipos de girassol (Helianthus annuus L.) em segunda safra no Chapadão do Parecis - MT. Revista de Ciências Agrárias, v. 39, n. 1, p. 178-186, 2016.

DOSIO, G. A. A. et al. Solar radiation intercepted during seed filling and oil production in two sunflower hybrids. Crop Science Society of América, v. 40, n. 6, p. 1637-1644, 2000.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Girassol: Embrapa 122/v-2000. Serviço de Negócios para Transferência de Tecnologia - Escritório de Negócios de Dourados-MS, 2008.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sistema brasileiro de classificação de solos. Brasília, 2013. 353 p.

FORTALEZA, J. M. et al. Características físicas e químicas em nove genótipos de maracujá-azedo cultivado sob três níveis de adubação potássica. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 27, n. 1, p. 124-127, 2005.

FRANK, J.; SZABO, L. A napraforgo Helianthus annuus, L. Budapest: Akadémiai Kiadó, 1989. 178 p.

GARCÍA-LÓPEZ, J. et al. Evaluation of three simulation approaches for assessing yield of rainfed sunflower in a Mediterranean environment for climate change impact modelling. Climatic Change, v. 124, n. 1, p. 147-162, 2014.

GRILO JÚNIOR, J. A. S.; AZEVEDO, P. V. Crescimento, desenvolvimento e produtividade do gergelim BRS Seda na agrovila de Canudos, em Ceará Mirim (RN). HOLOS, v. 2, p. 19-33, 2013.

GRUNVALD, G. A. K. et al. Adaptabilidade e estabilidade de genótipos de girassol nos estados do Rio Grande do Sul e Paraná. Ciência e Agrotecnologia, v. 33, n. 5, p. 1195-1204, 2009.

IZQUIERDO, N. G. et al. Weight per grain, oil concentration, and solar radiation intercepted during grain filling in black hull and striped hull sunflower hybrids. Crop Science Society of America, v. 48, n. 2, p. 688-699, 2008.

MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. Piracicaba: Potafos, 1997. 319 p.

MARCHESINI, M. J. et al. Desempenho de genótipos de girassol cultivados em segunda safra. Profiscientia, n. 11, p. 46-57, 2018.

PIVETTA, L. G. et al. Avaliação de híbridos de girassol e relação entre parâmetros produtivos e qualitativos. Revista Ciência Agronômica, v. 43, n. 3, p. 561-568, 2012.

POLETINE, J. P. et al. Avaliações morfoagronômicas e teor óleo em genótipos de girassol nas condições do Arenito Caiuá. Journal of Agronomic Sciences, v. 2, n. 2, p. 105-117, 2013.

REETZ JUNIOR, H. F. Fertilizantes e seu uso eficiente. Tradução de Alfredo Scheid Lopes. São Paulo: Associação Nacional para Difusão de Adubos, 2017.

RIBEIRO, A. C.; GUIMARÃES, P. T. G.; ALVAREZ, V. H. (org.). Recomendações para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais: 5ª aproximação. Viçosa, MG: Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais, 1999.

SOARES, L. U. et al. Crescimento e produtividade do girassol sob doses de nitrogênio e fósforo. Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável, v. 6, n. 2, p. 19-25, 2016.

SOARES, L. U. et al. Fitomassa e produção do girassol cultivado sob diferentes níveis de reposição hídrica e adubação potássica. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 19, n. 4, p. 336-342, 2015.

SOUZA, F. R. et al. Características agronômicas do cultivo de girassol consorciado com Brachiaria ruziziensis. Revista Ciência Agronômica, v. 46, n. 1, p. 110-116, 2015.

UCHÔA, S. C. P. et al. Adubação de potássio em cobertura nos componentes de produção de cultivares de girassol. Revista Ciência Agronômica, v. 42, n. 1, p. 8-15, 2011.

VIANA, T. V. A. et al. Diferentes doses de potássio, na forma de nitrato de potássio, aplicadas via fertirrigação no mamão formosa. Revista Ciência Agronômica, v. 39, n. 1, p. 34-38, 2008.

YANIV, Z. et al. Oil and fatty acid changes in sinapis and crambe seeds during germination and early development. Industrial Crops and Products, v. 9, n. 1, p. 1-8, 1998.

ZOBIOLE, L. H. S. et al. Marcha de absorção de macronutrientes na cultura do girassol. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 34, n. 2, p. 425-433, 2010.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.