Doses e formas de parcelamento de nitrogênio para a produção de milho sob plantio direto

Edson Alves Bastos, Milton José Cardoso, Francisco de Brito Melo, Valdenir Queiroz Ribeiro, Aderson Soares de Andrade Júnior

Resumo


O objetivo deste estudo foi definir a forma de parcelamento do adubo nitrogenado e as doses de N para maximizar a produção econômica de grãos de milho no sistema plantio direto, nos cerrados do Meio-Norte do Brasil. Os experimentos foram conduzidos em Latossolos Amarelos Álicos no sistema plantio direto, nos municípios de Baixa Grande do Ribeiro, PI e São Raimundo das Mangabeiras, MA, no ano agrícola de 2001/2002. Consistiu da avaliação de quatro doses de N (0; 60; 120 e 180 kg ha-1) associadas a duas formas de parcelamento do adubo (1/2 na fundação + 1/2 por ocasião da sexta folha e 1/3 na fundação + 1/3 por ocasião da quarta folha + 1/3 por ocasião da sexta folha). Foi aplicado um delineamento de blocos ao acaso, com quatro repetições, onde os tratamentos foram dispostos em um esquema fatorial incompleto 2x3 + 1 (testemunha: 0 kg de N ha-1) e avaliada a produtividade de grãos. Os resultados evidenciaram que não há necessidade de se parcelar o adubo nitrogenado em mais de duas vezes, nas condições de solo e clima de Baixa Grande do Ribeiro e São Raimundo das Mangabeiras. Em Baixa Grande do Ribeiro, a produtividade econômica de grãos de milho (5.723,1 kg ha-1) foi alcançada com 67 kg de N ha-1. Em São Raimundo das Mangabeiras, a produtividade de grãos apresentou efeito linear ao nitrogênio, obtendo-se 7.691,8 kg ha-1 com 180 kg ha-1 de N.


Palavras-chave


Zea mays. Mineral-N. No-tillage.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.