Efeito do substrato na germinação de sementes de amaranto (Amaranthus spp)

Djeson Mateus Alves da Costa, José Araújo Dantas

Resumo


A germinação de sementes é o processo pelo qual a planta embrionária emerge de um período de dormência. Esta etapa do desenvolvimento das plantas depende de muitos fatores, entre os quais se incluem os de natureza genética e ambiental. Devido a escassez de informações sobre a percentagem e o índice de velocidade de germinação de sementes de amaranto (Amaranthus spp), conduziu-se um estudo para determinar os efeitos de diferentes substratos na germinação de sementes de amaranto. O delineamento experimental foi inteiramente casualizados com cinco tratamentos e quatro repetições. Nos tratamentos, utilizaram-se os seguintes substratos: areia de praia (T1), areia de duna (T2), areia de rio (T3), neossolo quartzarênico distrófico ou solo de arisco (T4) e neossolo Flúvico distrófico ou solo de aluvião (T5). O tratamento mais eficiente foi o com solo de aluvião, apresentando 96% de germinação, tempo médio de 11,68 dias para germinação e os maiores ganhos no desenvolvimento inicial, seguido pelo T4. Os piores resultados foram constatados com o tratamento T1, que apresentou 76% de sementes germinadas e tempo médio de 12,59 dias, com as menores magnitudes inerentes ao desenvolvimento inicial do amaranto.


Palavras-chave


Amaranto; Germinação; Semente.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.