Avaliação da fitorremediação de tebuthiuron utilizando crotalaria juncea como planta indicadora

Fábio Ribeiro Pires, Sergio de Oliveira Procópio, José Barbosa dos Santos, Caetano Marciano de Souza, Rafael Rosalino Dias

Resumo


Diversos ensaios têm sido realizados empregando a fitorremediação de solos contaminados com compostos orgânicos, inclusive herbicidas, dentre os quais o tebuthiuron que desperta preocupação ambiental e agrícola por apresentar efeito residual longo. O objetivo deste trabalho foi avaliar a capacidade de espécies vegetais na despoluição de solos contaminados com tebuthiuron. O experimento foi realizado em casa-de-vegetação, aplicando-se o tebuthiuron em pré-emergência, nas doses 0,0; 0,5; 1,0 e 1,5 kg ha-1, seguido da semeadura das espécies Cajanus cajan, Canavalia ensiformis, Dolichos lablab, Pennisetum glaucum, Stizolobium deeringiana, Stizolobium aterrimum e Lupinus albus, mais uma testemunha sem planta. Nos mesmos vasos, após o cultivo das espécies fitorremediadoras por 60 dias, foi semeada a Crotalaria juncea como planta indicadora. Aos 60 dias após a semeadura da C. juncea, foram avaliados altura de plantas, sintomas de toxicidade e biomassa seca da parte aérea das plantas. A maior altura de plantas e biomassa seca e menor toxicidade de C. juncea foram obtidas após o cultivo prévio de C. ensiformis, C. cajan, S. aterrimum e L. albus, até a dose de 1,0 kg ha-1. Contudo, na maior dose, C. ensiformis, L. albus e P. glaucum foram as espécies que apresentaram melhor efeito remediador.


Palavras-chave


Soil decontamination. Green manure. Bioremediation.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.