Densidade de plantio em duas cultivares de mamona no Sul do Tocantins

Edmar Vinícius de Carvalho, Carlos Henrique Alves Corrêa de Sá, Jefferson da Luz da Costa, Flávio Sérgio Afférri, Susana Cristine Siebeneichler

Resumo


A fim de se aperfeiçoar o sistema de produção da mamona é preciso determinar a densidade de plantas. Com este intuito, conduziu-se um experimento no município de Cariri do Tocantins-TO, na Fazenda Coqueiro, utilizando-se sementes das cultivares BRS Nordestina e BRS Paraguaçú com o objetivo de verificar o efeito de cinco densidades de plantio (2,5; 3,12; 4,16; 6,25; 12,5 mil plantas ha-1) sobre a produtividade e características agronômicas da mamona. O ensaio foi implantado em fevereiro de 2006 com todas as plantas recebendo a mesma adubação independente das densidades (formula NPK 5-25-15). O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, com quatro repetições e os tratamentos arranjados em esquema fatorial de 5 x 2 x 3, para análise de produtividade das cultivares e em esquema fatorial 5 x 2 para as demais características avaliadas. Os tratamentos resultaram na combinação de cinco densidades (distância entre plantas na linha de cultivo 2,00; 1,60; 1,20; 0,80; 0,40 m) referentes a 2,50; 3,12; 4,16; 6,25 e 12,5 mil plantas por hectare respectivamente, duas cultivares (BRS Nordestina e BRS Paraguaçú) e, três colheitas de frutos, nas seguintes datas: 06/07/2006; 03/08/2006 e 19/09/2006. Dentre as populações, a de maior produtividade foi a de 12,5 mil plantas ha-1 para as duas cultivares. A produtividade média da cultivar Nordestina foi de 1.048 kg ha-1 e da Paraguaçú foi de 1.013 kg ha-1, comprovando o potencial produtivo na região de Cariri do Tocantins.


Palavras-chave


Ricinus communis; Cultivares; Rendimento

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.