Medidas de interceptação e avaliação do desempenho do modelo de Gash para uma região semi-árida

Pedro Henrique Augusto Medeiros, José Carlos de Araújo, Axel Bronstert

Resumo


Ambientes semi-áridos normalmente enfrentam escassez hídrica e conflitos pelo uso da água; portanto um completo entendimento do balanço hídrico nessas regiões é desejável. Para avaliar a interceptação vegetal, medidas de precipitação, precipitação interna e escoamento pelos troncos foram realizadas em uma bacia experimental no semi-árido brasileiro com vegetação de Caatinga preservada. A análise dos dados indica que as perdas por interceptação correspondem a 13% da precipitação total, representando um importante processo no balanço hídrico da bacia, onde o escoamento corresponde a uma parcela de somente 6% da precipitação. O modelo de interceptação de Gash foi aplicado na região com bons resultados em simulação de longo prazo. No entanto, o modelo produziu erros significativos, porém não sistemáticos, em escala diária. Isso foi atribuído à sua incapacidade de representar a variação temporal da precipitação durante o evento chuvoso, que é um fator importante que afeta a interceptação. A intensidade da chuva se mostrou um bom parâmetro para determinar um limite de aplicabilidade do modelo de Gash na área de estudo.

Palavras-chave


Interceptação vegetal. Semi-Árido. Caatinga. Modelo de Gash.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.