Urochloa decumbens grown with different Eucalyptus clones in an integrated crop-livestock-forest system

Cíntia Gonçalves Guimarãres, Rosana Cristina Pereira, Karina Guimarães Ribeiro, Maria Celuta Machado Viana, José Barbosa dos Santos

Resumo


The objective of this study is to evaluate the forage mass, chemical composition, mineral content, and mineral absorption in signal grass (Urochloa decumbens) grown with different eucalypt clones in an integrated crop-livestock-forest (iCLF) system. The split-split-plot scheme included three replicates arranged in a completely randomized block design. The eucalyptus clones GG 100 and I 144 (Eucalyptus grandis × Eucalyptus urophylla) and VM 58 (Eucalyptus grandis × Eucalyptus camaldulensis) were distributed in the plots. The split plots corresponded to the growth ages of signal grass (10, 17, 24, 31, 38, 45, and 52 days after corn harvest for silage). The split-split plots corresponded to two sampling sites: center of the inter-row and soil under the Eucalyptus canopy. The Eucalyptus clones did not affect the forage mass of the grass. Forage mass was increased linearly as the grass matured and was more readily available in the center of the inter-row than under the tree canopy. The grass grown with clone I 144 presented better chemical composition, with higher levels of crude protein and phosphorus and lower levels of neutral detergent fiber. The Eucalyptus clones did not significantly affect mineral absorption. However, the Eucalyptus clones, grass age, and sampling sites significantly changed potassium absorption. It is concluded that the forage mass of signal grass is suitable for use in grazing at 38 to 52 days after corn harvest in the iCLF system in the autumn season in the Midwest region of Minas Gerais, without compromising the chemical composition of the grass.


Palavras-chave


Chemical composition; Mineral absorption; Growth ages; Sampling sites

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, C. M. S. et al. Desempenho de seis gramíneas solteiras ou consorciadas com Stylosantes guianensis cv. Mineirão e eucalipto em sistema silvipastoril. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 32, n. 6, p. 1845-1850, 2003.

BALBINO, L. C. et al. Evolução tecnológica e arranjos produtivos de sistemas de integração lavoura-pecuária-floresta no Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 46, n. 10, p. 1-12, 2011.

CASTRO, G. H. F. et al. Cinética de degradação e fermentação ruminal da Brachiaria brizantha cv. Marandu colhida em diferentes idades de corte. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 59, n. 6, p. 1538-1544, 2007.

COELHO, J. S. et al. Morfofisiologia e valor nutritivo do capim-braquiária em sistema silvipastoril com diferentes arranjos espaciais. Semina: Ciências Agrárias, v. 35, n. 3, p. 1487-1500, 2014.

COSTA, K. A. P. et al. Intervalo de corte na produção de massa seca e composição químico-bromatológica da Brachiaria brizantha cv. MG-5. Ciência e Agrotecnologia, v. 31, n. 4, p. 1197-1202, 2007.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Sistema brasileiro de classificação de solos. 2. ed. Brasília, 2006, 306 p.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, v. 35, n. 6, p. 1039-1042, 2011.

LACERDA, M. da S. B. et al. Composição bromatológica e produtividade do capim-andropogón em diferentes idades de rebrota em sistema silvipastoril. Acta Scientiarum. Animal Sciences, v. 31, n. 2, p. 123-129, 2009.

MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. de. Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. 2. ed. Piracicaba: POTAFOS, 1997. 319 p.

MARTUSCELLO, J. A. et al. Produção de gramíneas do gênero Brachiaria sob níveis de sombreamento. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 38, n. 7, p. 1183-1190, 2009.

MOREIRA, G. R. et al. Avaliação da Brachiaria brizantha cv. Marandu em sistemas silvipastoris. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 61, n. 3, p. 706-713, 2009.

OLIVEIRA, T. K. et al. Produtividade de Brachiaria brizantha (Hochst. Ex A. Rich.) Stapf cv. Marandu sob diferentes arranjos estruturais de sistema agrossilvipastoril com eucalipto. Ciência e Agrotecnologia, v. 31, n. 3, p. 748-757, 2007.

PACIULLO, D. S. C. et al. Características produtivas e nutricionais do pasto em sistema agrossilvipastoril, conforme a distância das árvores. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 46, n. 10, p. 1176-1183, 2011.

PACIULLO, D. S. C. et al. Morfofisiologia e valor nutritivo do capim-braquiária sob sombreamento natural e a sol pleno. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 42, n. 4, p. 573-579, 2007.

RODRIGUES, C. O. D. et al. Light relations and performance of signal grass in silvopastoral. Acta Scientiarum. Animal Sciences, v. 36, p. 129-136, 2014.

SILVA, D. J., QUEIROZ, A. C. Análise de alimentos: métodos químicos e biológicos. 3. ed. Viçosa, MG: UFV, 2002. 235 p.

SOARES, A. B. et al. Influência da luminosidade no comportamento de onze espécies forrageiras perene de verão. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 38, n. 3, p. 443-451, 2009.

SOUSA, L. F. et al. Produtividade e valor nutritivo da Bachiaria brizantha cv. Marandu em um sistema silvipastoril. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 59, n. 4, p. 1029-1037, 2007.

VIANA, M. C. M. et al. Influência de arranjos e clones de eucalipto sobre as características agronômicas do milho no sistema de integração lavoura-pecuária-floresta. In: CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO, 24., 2012, Águas de Lindóia. Resumos… Águas de Lindóia, 2012. p. 2243-2248.

VILELA L. et al. Sistemas de integração lavoura-pecuária na região do Cerrado. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 46, n. 10, p. 1127-1138, 2011.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.