Effect of chitosan coating on contamination of fresh bovine meat sold in the open market

Alessandra Santana Silva, Adriana Pereira Sampaio, Marly Silveira Santos, Bartolomeu Warlene Silva de Souza, Norma Suely Evangelista Barreto

Resumo


This study aimed to evaluate the sanitary status of fresh bovine meat sold at the open market in Jiquiriça municipality, Brazil and validate the use of chitosan as an antimicrobial coating to control the bioburden. In total, we evaluated 30 samples of fresh beef for the presence of coagulase-positive staphylococci and Salmonella spp. Furthermore, stores selling fresh meat products were evaluated for compliance with sanitary regulations set by the Ministry of Health in Brazil. To evaluate the antimicrobial activity of chitosan two sets of meat samples were tested, the test group consisted of contaminated meat coated with 2% chitosan solution whereas the control group consisted of untreated contaminated meat. It was found that fresh bovine meat at market stores is exposed to a number of contaminants, including several pathogens. All of the tested samples contained coagulase-positive staphylococci (3.8-6.1 log CFU g-1) and Salmonella spp. were detected in 30% of all samples. When assessing the sanitary conditions of the meat stores, non-compliance was highest in the marketing and display category (79%), followed by the hygiene of manipulators (73%) and the facilities, equipment and utensils categories (54%). Meat treated treated with 2% chitosan solution showed significant lower (p<0.01) microbial load of Salmonella enterica and Staphylococcus aureus than the control samples. These findings suggest that applying a 2% chitosan coating on fresh meat is a feasible method for controlling pathogenic microbial load.


Palavras-chave


Salmonella; Staphylococcus; Internal meat temperature; Antimicrobial activity

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. D.; PENA, P. G. L. Feira livre e risco de contaminação alimentar: estudo de abordagem etnográfica em Santo Amaro, Bahia. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 35, n. 1, p. 110-127, 2011.

BARROS, L. S. S.; VIOLANTE, P. C. Microbiologia da carne bovina “in natura” comercializada nas feiras livres do recôncavo baiano. Revista Brasileira de Higiene e Sanidade Animal, v. 8, n. 3, p. 185-197, 2014.

BESSA-JUNIOR, A. P.; GONÇALVES, A. A. Análises econômica e produtiva da quitosana extraída do exoesqueleto de camarão. Actapesca, v. 1, n. 1, p. 13-28, 2013.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Desenvolvimento Rural e das Pescas. Decreto-lei n.º 207/2008. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 out. 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agencia Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC n° 12, de 12 de janeiro de 2001. Regulamento técnico sobre os padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 10 jan. 2011.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agencia Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 275, de 21 de outubro de 2002. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 23 out. 2003.

BRASIL. Ministério da Saúde. Agencia Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC n° 216, de 15 de setembro de 2004. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18 dez. 2006.

CHONG, J. X.; LAI, S.; YANG, H. Chitosan combined with calcium chloride impacts fresh-cut honeydew melon by stabilising nanostructures of sodium-carbonate-soluble pectin. Food Control, v. 53, p. 195-205, 2015.

FERNÁNDEZ-SAIZ, P. et al. Chitosan films for the microbiological preservation of refrigerated sole and hake fillets. Food Control, v. 34, n. 1, p. 61-68, 2013.

GERMANO, P. M. L.; GERMANO, M. I. S. Higiene e vigilância sanitária de alimentos. 4. ed. São Paulo: Manole, 2011. 1034 p.

KUNIYOSHI, J. N. La quitosana. Revista de Química PUCP, v. 26, n. 1/2, p. 10-12, 2012.

LEE, K. M. et al. Review of Salmonella detection and identification methods: aspects of rapid emergency response and food safet. Food Control, v. 47, p. 264-276, 2015.

LUNDGREN, P. U. et al. Perfil da qualidade higiênico-sanitária da carne bovina comercializada em feiras livres e mercados públicos de João Pessoa/PB-Brasil. Alimentação e Nutrição, v. 20, n. 1, p. 113-119, 2009.

MINNAERT, A. C. S. T.; FREITAS, M. C. S. Práticas de higiene em uma feira livre da cidade de Salvador (BA). Ciência & Saúde Coletiva, v. 15. n. 1, p. 1607-1614, 2010.

MIRANDA, P. C.; EVANGELISTA-BARRETO, N. S. Avaliação higiênico-sanitária de diferentes estabelecimentos de comercialização da carne-de-sol no município de Cruz das Almas-Ba. Revista Caatinga, v. 25, n. 2, p. 166-172, 2012.

OLIVEIRA, J. D.; SILVA, T. R. S.; CORREIA, M. G. S. Fatores determinantes da qualidade nutricional da carne bovina. Cadernos de Graduação - Ciências Biológicas e da Saúde, v. 1, n. 16, p. 37-46, 2013.

OLIVEIRA, S. de et al. Avaliação das condições higiênico-sanitárias de carne bovina comercializada em supermercados de João Pessoa. Alimentação e Nutrição, v. 19, n. 1, p. 61-66, 2008.

PARDI, F.; LEWIS, C. M.; WHITTAKER, J. C. SNP selection for association studies: maximizing power across SNP choice and study size. Annals of Human Genetics, v. 69, p. 733-746, 2005.

PARK, S-I. et al. Application of chitosan-incorporated LDPE film to sliced fresh red meats for shelf life extension. Meat Science, v. 85, n. 3, p. 493-499, 2010.

RAMÍREZ, C. C. et al. Potencial de los quito-oligosacáridosgenerados de quitina y quitosana. Acta Universitaria, v. 21, n. 3, p. 14-23, 2011.

SANTOS, R. D. et al. Sociedade Brasileira de Cardiologia. I Diretriz sobre o consumo de gorduras e saúde cardiovascular. Arquivo Brasileiro de Cardiologia, v. 100, p. 1-40, 2013.

SILVA, N. da et al. Manual de métodos de análise microbiológica de alimentos e água. 4. ed. São Paulo: Varela, 2010. 614 p.

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE AGRAVOS DE NOTIFICAÇÃO. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância Epidemiológica. Coordenação Geral de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Vigilância epidemiológica das doenças transmitidas por alimento - VE - DTA. Brasília, 2014. Disponível em: < http://www.anrbrasil.org.br/new/pdfs/2014/3_PAINEL_1_ApresentacaoRejaneAlvesVigilanciaEpidemiologica-VE-DTA-Agosto_2014_PDF.pdf > Acesso em: 23 jul. 2015.

SOARES, N. F. F. et al. Uso de revestimento comestível e conservação pós-colheita de goiaba. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 33, n. 1, p. 281-289, 2011.

VASILE, C. et al. Effectiveness of chitosan as antimicrobial agent in LDPE/CS composite films as minced poultry meat packaging materials. Cellulose Chemistry Technology, v. 48, n. 3/4, p. 325-336, 2014.

WELKER, C. A. D. et al. Análise microbiológica de alimentos envolvidos em surtos de doenças transmitidas por alimentos (DTA) ocorridos no estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Biociências, v. 8, n. 1, p. 44-48, 2010.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.