Farelo de algodão em dietas com ou sem suplementação de enzimas para frango de corte

Lídia Maria Brito de Miranda, Cláudia de Castro Goulart, Silvana Cavalcante Bastos Leite, Ana Sancha Malveira Batista, Raffaella Castro Lima

Resumo


Este experimento foi conduzido com a finalidade de avaliar dietas contendo farelo de algodão em substituição à proteína do farelo de soja, com ou sem suplementação enzimática sobre o desempenho e características de carcaça de frangos de corte. Foram utilizados 350 pintos distribuídos em delineamento experimental inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 x 2 + 1 (2 níveis de substituição: 10 ou 20% x suplementação ou não com enzimas + dieta controle), totalizando cinco tratamentos, com sete repetições. Quando comparados à dieta controle, na fase pré-inicial, os pintos submetidos às dietas contendo farelo de algodão apresentaram maior consumo de ração e ganho de peso. No entanto, quando avaliados os períodos de 1 a 21 e 1 a 42 dias, o desempenho das aves foi semelhante. No período total da criação, houve efeito do nível de substituição e da suplementação enzimática, em que a substituição de 20% e a adição de enzimas resultaram em melhor ganho de peso. Nas características de carcaça, verificou-se que a dieta com 10% de substituição com adição de enzimas aumentou o peso da coxa, em comparação à dieta controle e à substituição de 20% em maior rendimento de sobrecoxa. Também foi verificado maior peso de coxa com a adição das enzimas. Conclui-se que o farelo de algodão pode ser utilizado em substituição de 20% da proteína do farelo de soja em dietas com suplementação das enzimas fitase e xilanase para frangos de corte.

Palavras-chave


Alimento alternativo; Fitase; Xilanase

Texto completo:

PDF

Referências


AMORIM, A. B.; ZANGEROMINO, M. G.; THOMAZ, M. C. Enzimas exógenas para suínos. Revista Eletrônica Nutritime, v. 8, n. 2, p. 1469-1481, 2011.

BERTECHINI, A. G. Nutrição de monogástricos. Lavras, MG: UFLA, 2012.

CALDARELLI, C. E.; BACCHI, M. R. P. Fatores de influênciano preço do milho no Brasil. Brasília, DF: Embrapa Informação Tecnológica, 2010. 174 p.

CARDOSO, D. M. et al. Efeito do uso de complexo enzimático em rações para frangos de corte. Archivos de Zootecnia, v. 60, n. 229, p. 1- 12, 2011.

CHOCT, M. Feed non-starch polysaccharides: chemical structures and nutritional significance. Feed Milling International, p. 13-26, 1997.

FREITAS, E. R. et al. Farelo de castanha de caju em rações para frangos de corte. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 41, n. 6, 2006.

LEITE, P. R. S. C. et al. Desempenho de frangos de corte e digestibilidade de rações com sorgo ou milheto e complexo enzimático. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 46, n. 3, p. 280-286, 2011.

LIMA, M. R. et al. Enzimas exógenas na alimentação de aves. Acta Veterinaria Brasilica, v. 1, n. 4, p. 99-110, 2007.

MUSHTAQ, T. et al. Influence of pre-press solventextracted cottonseed meal supplemented with exogenous enzyme and digestible lysine on performance, digestibility, carcass and immunity responses of broiler chickens. Journal of Animal Physiology and Animal Nutrition, v. 93, n. 2, p. 253-262, 2008.

ONDERCI, M. et al. Efficacy of supplementation of alpha‑amylase‑producing bacterial culture on the performance, nutrient use, and gut morphology of broiler chickens fed a corn‑based diet. Poultry Science, v. 85, p. 505‑510, 2006.

PIMENTEL, A. C. S. et al. Substituição parcial do milho e farelo de soja por sorgo e farelo de caroço de algodão extrusado em rações de frangos de corte. Acta Scientiarum Animal Sciences, v. 29, n. 2, p. 135-141, 2007.

ROSTAGNO, H. S. et al. Tabelas brasileiras para aves e suínos: composição de alimentos e exigências nutricionais. Viçosa, MG: Universidade Federal de Viçosa, 2011.

SAMAY, A. M. A. T. Avaliação nutricional e energética do farelo de algodão com ou sem suplementação enzimática para frangos de corte. 2012. 119 f. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2012.

SANTOS, A. P. S. F. et al. Características de carcaça de frangos alimentados com farelo de algodão. Archivos de Zootecnia, v. 57, n. 217, p. 15-24, 2008.

SANTOS, M. J. B. et al. Composição química e valores de energia metabolizável de ingredientes alternativos para frangos de corte. Ciência Animal Brasileira, v. 14, n. 1, p. 32-40, 2013.

SARTORI, J. R. et al. Enzima e simbiótico para frangos criados nos sistemas convencional e alternativo. Revista Ciência Rural, v. 37, n. 1, p. 235-240, 2007.

SOUZA, A. V. C. Utilização do farelo de algodão para suínos e aves. 2003. Disponível em: Acesso em: 14 out. 2013.

TAVARES, A. Desempenho, parâmetros de carcaça, ósseos e econômicos de frangos de corte alimentados com dietas contendo farelo de algodão com ou sem suplementação enzimática. 2014. Disponível em: Acesso em: 03 dez. 2014.

WATKINS, S. E. et al. An evaluation of low gossypol cottonseed meal in diets for broilers e chickens. 2. Influence of assigned metabolizable e energy values and supplementation with essential amino acids on performance. International Journal Poultry Science, v. 3, p. 7-16, 1994.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.