Cloreto de mepiquat via embebição de sementes e aplicação foliar em algodoeiro em espaçamento ultraestreito

Getúlio Takashi Nagashima, Édison Miglioranza, Celso Jamil Marur, Ruy Seiji Yamaoka

Resumo


Com o cultivo constante dos solos e o seu rápido depauperamento, a semeadura em espaçamentos adensados e altas populações de plantas são manejos necessários para o cultivo racional, principalmente, do algodoeiro. Este trabalho teve como objetivo avaliar o desenvolvimento e produção de algodão em caroço e qualidade das fibras produzidas em condições de campo em espaçamento entre linhas de 0,30 m, considerado como ultraestreito, submetidos a diferentes doses de regulador de crescimento, Cloreto de Mepiquat (0,0; 3,75; 7,5 e 15,0 g i.a. kg-1 de sementes). As sementes foram embebidas por 12 h, utilizando sementes da cultivar IPR 120 e a interação com aplicação foliar sequencial com o mesmo produto, num total de quatro aplicações a cada 17 dias, iniciadas aos 32 dias após a emergência. Foi conduzido em delineamento experimental blocos ao acaso com quatro repetições, em esquema fatorial. Foram avaliados a altura das plantas de algodão, a inserção do primeiro ramo frutífero, o número de ramos produtivos, a percentagem de maçãs na posição 1, o número total de frutos por planta, a produção de algodão em caroço, a massa de capulhos, massa de 100 sementes e percentagem de plumas. A redução no porte devido à embebição foi visível até 80 dias após semeadura e afetou a altura da inserção do ramo frutífero e número de frutos por planta. A aplicação foliar afetou somente a altura de plantas. Não houve efeito da embebição e da aplicação foliar na produção e em outros parâmetros analisados.


Palavras-chave


Gossypium hirsutum r. latifolium; Regulador de crescimento; Tratamento de sementes; Semeadura.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.