Germinação e vigor de plântulas de Parkia platycephala Benth. em diferentes substratos e temperaturas

Romário Bezerra e Silva, Valderez Pontes Matos, Séfora Gil Gomes de Farias, Lúcia Helena de Moura Sena, Dandara Yasmim Bonfim de Oliveira Silva

Resumo


Conhecida popularmente como fava de bolota, a Parkia platycephala Benth. pertence a família Fabaceae, ocorre em áreas de transição Caatinga-Cerrado e apresenta grande potencial madeireiro, paisagístico e, principalmente, forrageiro. O objetivo da pesquisa é fornecer informações para a elaboração de protocolos de testes de germinação de sementes e vigor de plântulas de P. platycephala, submetidas a diferentes subtratos e temperaturas. Para avaliar o efeito do substrato e da temperatura, as sementes foram semeadas entre os substratos: vermiculita, areia, pó de coco, bagaço da cana-de-açúcar, tropstrato®, papel (RP), marca Germitest e papel mata-borrão, distribuídas em caixas plásticas transparentes, todos sob luz contínua em germinador tipo Biochemical oxygen Demand (B.O.D.), com temperaturas constantes de 5; 10; 15; 20; 25; 30; 35 e 40 °C, e temperaturas alternadas de 20-30 ºC e 25-35 ºC. Foram avaliadas as variáveis germinação, índice de velocidade de germinação, tempo médio da germinação, comprimento da raiz primária e da parte aérea, e massa seca da raiz primária e da parte aérea. A temperatura alternada de 25-35 °C combinada com o substrato vermiculita é recomendada para realização de testes de germinação e vigor de P. platycephala.

Palavras-chave


Fava de bolota; Sementes florestais nativas; Ecofisiologia

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, A. A. et al. Degradabilidade ruminal in situ de vagens de faveira (Parkia platycephala Benth.) em diferentes tamanhos de partículas. Revista Brasileira de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 59, n. 4, p. 1045-1051, 2007.

ALVES, E. U. et al. Effect of temperature and substrate on germination of Peltophorum dubium (Sprengel) Taubert seeds. Acta Scientiarum. Biological Sciences, v. 33, n. 1, p. 113-118, 2011.

AZERÊDO, G. A.; PAULA, R. C.; VALERI, S. V. Temperatura e substrato para a germinação de sementes de Piptadenia moniliformis Benth. Scientia Forestalis, v. 39, n. 92, p. 479-488, 2011.

AZEVEDO, C. F. et al. Germinação de sementes de cabaça em diferentes substratos e temperaturas. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 5, n. 3, p. 354-357, 2010.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Regras para análise de sementes. Brasília, DF, 2009. 399 p.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 5. ed. Jaboticabal: FUNEP, 2012. 590 p.

CETNARSKI FILHO, R.; CARVALHO, R. I. N. Massa da amostra, substrato e temperatura para teste de germinação de sementes de Eucalyptus dunnii Maiden. Ciência Florestal, v. 19, n. 3, p. 257-265, 2009.

COPELAND, L. O; MCDONALD, M. B. Seed science and technology. 3 ed. New York: Chapman & Hall, 1995. 409 p.

FERREIRA, A. G. et al. Germinação de sementes de Asteraceae nativas no Rio Grande do Sul, Brasil. Acta Botanica Brasilica, v. 15, n. 2, p. 231-242, 2001.

FERREIRA, D. F. Programa computacional Sisvar. Versão 5.3. Lavras, MG: UFLA, 2010.

FERREIRA, E. G. B. S. et al. Germinação de sementes e desenvolvimento inicial de plântulas de crista-de-galo em diferentes substratos. Scientia Agraria, v. 9, n. 2, p. 241-244, 2008.

FERREIRA, E. G. B. S. Potencial fisiológico de sementes e produção de mudas de espécies florestais ocorrentes na caatinga de Pernambuco. 2013. 159 f. Tese (Doutorado em Ciências Florestais) - Departamento de Ciência Florestal, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2013.

GUEDES, R. S. et al. Germinação de sementes de Dalbergia nigra (Vell.) Fr. All. Acta Scientiarum. Biological Sciences, v. 33, n. 4, p. 445-450, 2011.

GUEDES, R. S. et al. Substratos e temperaturas para testes de germinação e vigor de sementes de Amburana cearensis (Allemão) A. C. Smith. Revista Árvore, v. 34, n. 1, p. 57-64, 2010.

IOSSI, E. et al. Efeitos de substratos e temperaturas na germinação de sementes de tamareira-anã (Phoenix roebelenii O’Brien). Revista Brasileira de Sementes, v. 25, n. 2, p. 63-69, 2003.

KISSMANN, C. et al. Tratamentos para quebra de dormência, temperaturas e substratos na germinação de Adenanthera pavonina L. Revista Ciência e Agrotecnologia, v. 32, n. 2, p. 668-674, 2008.

LIMA JUNIOR, M. J. V. Manual de procedimentos para análise de sementes florestais. 1. ed. Manaus: UFAM, 2010. 146 p.

LIMA, C. R. et al. Temperaturas e substratos na germinação de sementes de Caesalpinia pyramidalis TUL. Revista Brasileira de Sementes, v. 33, n. 2, p. 216-222, 2011.

LIMA, J. D. et al. Efeito da temperatura e do substrato na germinação de sementes de Caesalpinia ferrea Mart. ex Tul. (Leguminosae, Caesalpinoideae). Revista Árvore, v. 30, n. 4, p. 513-518, 2006.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. 2. ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002. 174 p.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v. 2, n. 1, p. 176-177, 1962.

NAKAGAWA, J. Teste de vigor baseados no desempenho das plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. (Ed). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999, p. 2.1- 2.24.

NASCIMENTO, I. L. et al. Superação da dormência em sementes de faveira (Parkia platycephala Benth.). Revista Árvore, v. 33, n. 1, p. 35-45, 2009.

OLIVEIRA, A. K. M. et al. Effects of temperature on the germination of Diptychandra aurantiaca (Fabaceae) seeds. Acta Scientiarum. Agronomy, v. 35, n. 2, p. 203-208, 2013.

PACHECO, M. V. et al. Germinação de sementes de Apeiba tibourbou Aubl. em função de diferentes substratos e temperatura. Scientia Florestalis, v. 1, n. 73, p. 19-25, 2007.

PACHECO, M. V. et al. Germination and vigor of Dimorphandra mollis benth. seeds under different temperatures and substrates. Revista Árvore, v. 34, n. 2, p. 205-213, 2010.

REGO, S. S. et al. Germinação de sementes de Blepharocalyx salicifolius (H.B.K.) Berg. em diferentes substratos e condições de temperaturas, luz e umidade. Revista Brasileira de Sementes, v. 31, n. 2, p. 212-220, 2009.

ROSSETO, J. et al. Germinação de sementes de Parkia pendula (willd.) Benth. Ex walp. (fabaceae) em diferentes temperaturas. Revista Árvore, v. 33, n. 1, p.47-55, 2009.

SATO, A. S. et al. Crescimento e sobrevivência de duas procedências de Aspidosperma polyneuron em plantios experimentais em Bauru, SP. Revista do Instituto Florestal, v. 20, n. 1, p. 23-32, 2008.

SILVA, J. B.; NAKAGAWA, J. Estudos e fórmulas para cálculo de velocidade de germinação. Informativo Abrates, v. 13, n. 3, p. 62-73, 1995.

SOUZA, F. B. C. et al. Substratos e temperaturas na germinação de sementes de gonçalo-alves (Astronium concinnum Schott). Revista Tropica: Ciências Agrárias e Biológicas, v. 6, n. 3, p. 76-86, 2012.

STOCKMAN, A. L. et al. Sementes de ipê-branco (Tabebuia roseo-alba (Ridl.) Sand. - Bignoniaceae): Temperatura e substrato para o teste de germinação. Revista Brasileira de Sementes, v. 29, n. 3, p. 139-143, 2007.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.