Características de carcaça de ovinos Santa Inês alimentados com mazoferm substituindo o farelo de soja

Juliana Paula Felipe de Oliveira, Marcelo de Andrade Ferreira, Amância Patriota Duarte de Freitas, Stela Antas Urbano, Ághata Elins Moreira da Silva

Resumo


Objetivou-se avaliar as características de carcaça de ovinos da raça Santa Inês alimentados com mazoferm em substituição ao farelo de soja (0,0; 33,0; 66,0 e 100,0%). Foram utilizados 32 animais machos, não castrados, com peso médio inicial de 21 ± 2,3 kg e idade média de quatro meses, distribuídos em delineamento de blocos casualizados e abatidos após 70 dias de confinamento. Não foi observado efeito da substituição sobre os consumos de matéria seca (1,103 kg/dia) e NDT (0,74 kg/dia), porém o consumo de proteína bruta apresentou comportamento linear decrescente (Y = 0,172 - 0,0002x). O desempenho e o peso corporal ao abate (34,10 kg) também não foram influenciados pela substituição fazendo com que os parâmetros peso do corpo vazio (28,49 kg), peso de carcaça quente (16,05 kg) e fria (15,56 kg), rendimento de carcaça quente (47,00 kg), rendimento comercial (45,54 kg) e rendimento biológico (56,29 kg) apresentassem o mesmo comportamento. Além desses parâmetros, a espessura de gordura de cobertura, perda de peso por resfriamento, área de olho de lombo (1,56 mm, 3,11%, 12,16 cm2, respectivamente), pesos e rendimentos dos cortes comerciais perna e as medidas morfométricas da carcaça, índices de compacidade da carcaça (0,24 kg/cm) e da perna (0,36 cm/cm) também não foram influenciados. Recomenda-se a substituição do farelo de soja pelo mazoferm tendo em vista que o mesmo não altera as características de carcaça de ovinos Santa Inês.

Palavras-chave


Carne; Confinamento de ovinos; Co-produtos para alimentação animal

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO FILHO, J. T. et al. Desempenho e composição da carcaça de cordeiros deslanados terminados em confinamento com diferentes dietas. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 39, n. 2, p. 363-371, 2010.

AZIZI-SHOTORKHOFT, A. et al. Effects of feeding different levels of maize steep liquor on the performance of fattening lambs. Journal of Animal Physiology and Animal Nutrition, v. 100, n. 1, p. 109-117, 2015.

BOCCARD, R.; DUMONT, B. L. Étude de la production de la viande chez les ovins. II. Variation de l’importance relative des différentes régions corporelles de l’agneau de boucherie. Annales de Zootechnie, v. 9, n. 4, p. 355-365, 1960.

CARTAXO, F. Q. et al. Características quantitativas da carcaça de cordeiros terminados em confinamento e abatidos em diferentes condições corporais. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 38, n. 4, p. 697-704, 2009.

CARTAXO, F. Q.; SOUSA, W. H. Correlações entre as características obtidas in vivo por ultra-som e as obtidas na carcaça de cordeiros terminados em confinamento. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 37, n. 8, p. 1490-1495, 2008.

CEZAR, M. F.; SOUZA, W. H. Carcaças ovinas e caprinas: obtenção, avaliação e classificação. Uberaba: Agropecuária Tropical, 2007. 147 p.

CLEMENTINO, R. H. et al. Influência dos níveis de concentrado sobre os cortes comerciais, os constituintes não-carcaça e os componentes da perna de cordeiros confinados. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 36, n. 3, p. 681-688, 2007.

CORN PRODUCTS BRASIL. Nutrição Animal. São Paulo, 2005. (Parecer técnico).

CUNHA, M. G. G. et al. Características quantitativas de carcaça de ovinos Santa Inês confinados alimentados com rações contendo diferentes níveis de caroço de algodão integral. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 37, n. 6, p. 1112-1120, 2008.

EZEQUIEL, J. M. B. et al. Desempenho e características de carcaça de bovinos Nelore alimentados com bagaço de cana-de-açúcar e diferentes fontes de energéticas. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 35, n. 5, p. 2050-2057, 2006.

FERREIRA, M. A. et al. Avaliação de indicadores em estudos com ruminantes: estimativa de consumos de concentrado e de silagem de milho por vacas em lactação. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 38, n. 8, p. 1574-1580, 2009.

GERRARD, D. E.; GRANT, A. L. Principles of animal growth and development. Revised Printing. Dubuque: Kendall Hunt, 2006. 264 p.

GOMIDE, L. A. M.; RAMOS, E. M.; FONTES, P. R. Ciência e qualidade da carne: fundamentos. 1. ed. Viçosa, MG: UFV, 2013. 197 p.

GONZAGA NETO, S. et al. Características quantitativas da carcaça de cordeiros deslanados Morada Nova, em função da relação volumoso: concentrado na dieta. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 35, n. 4, p. 1487-1495, 2006.

ÍTAVO, C. C. B. F. et al. Características de carcaça, componentes corporais e rendimento de cortes de cordeiros confinados recebendo dieta com própolis ou monensina sódica. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 38, n. 5, p. 898-905, 2009.

LEÃO, A. G. et al. Características físico-químicas e sensoriais da carne de cordeiros terminados com dietas contendo cana-de-açúcar ou silagem de milho e dois níveis de concentrado. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 41, n. 5, p. 1253-1262, 2012.

MARTINS, R. C. et al. Peso vivo ao abate como indicador do peso e das características quantitativas e qualitativas das carcaças em ovinos jovens da raça Ideal. Bagé: Embrapa Pecuária Sul, 2000. 29 p. (Embrapa Pecuária Sul. Boletim de Pesquisa, 21)

MEDEIROS, G. R. et al. Efeito dos níveis de concentrado sobre as características de carcaça de ovinos Morada Nova em confinamento. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 38, n. 4, p. 718-727, 2009.

NATIONAL RESEARCH COUNCIL. Nutrient requirements of small ruminants: sheep, goats, cervids, and new world camelids. Washington, D.C : National Academy Press, 2007.

PEREIRA, E. S. et al. Características e rendimentos de carcaça e de cortes em ovinos Santa Inês, alimentados com diferentes concentrações de energia metabolizável. Acta Scientiarum, v. 32, n. 4, p. 431-437, 2010.

PINHEIRO, R. S. B. et al. Qualidade da carne de cordeiros confinados recebendo diferentes relações de volumoso:concentrado na dieta. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 29, n. 2, p. 407-411, 2009.

PINTO, T. F. et al. Use of cactus pear (Opuntia ficus indica Mill) replacing corn on carcass characteristics and non-carcass components in Santa Inês lambs. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 40, n. 6, p. 1333-1338, 2011.

QUEIROZ, M. A. A., et al. Desempenho de cordeiros e estimativa da digestibilidade do amido de dietas com diferentes fontes proteicas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 43, n. 9, p. 1193-1200, 2008.

SALIBA, E. O. S.; RODRIGUEZ, N. M.; PILÓ-VELOSO, D. Utilization of purified lignin extracted from Eucalyptus grandis (PELI), used as an external marker in digestibility trials in various animal species. In: WORLD CONFERENCE ON ANIMAL PRODUCTION, 9., 2003, Porto Alegre. Proceedings… Porto Alegre, 2003.

SANTOS, J. R. S. et al. Carcass characteristics and body components of Santa Inês lambs in feedlot fed on different levels of forage cactus meal. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 40, n. 10, p. 2273-2279, 2011.

SAS INSTITUTE. Statistical user’s guide. Version 6. 4th ed. Cary, NC: SAS Institute Inc., 1989. 846 p. v. 2.

SILVA SOBRINHO, A. G. da et al.Sistema de formulação de ração e características in vivo e da carcaça de cordeiros em confinamento. Agropecuária Científica do Semi-árido, v. 1, n. 1, p. 39-45, 2005.

SILVA SOBRINHO, A. G. da. Aspectos quantitativos e qualitativos da produção de carne ovina. In: A PRODUÇÃO animal na visão dos brasileiros. Piracicaba: Fundação de Estudos Agrários Luiz de Queiroz, p. 425-446, 2001.

SILVA, L. F.; PIRES, C. C. Avaliações quantitativas e predição das proporções de osso, músculo e gordura da carcaça em ovinos. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 29, n. 4, p. 1253-1260, 2000.

SILVA, M. J. M. et al. Níveis de inclusão do resíduo do milho (mazoferm), em substituição ao farelo de soja para vacas em lactação. Acta Scientiarum, v. 30, n. 1, p. 51-57, 2008.

SNIFFEN, C. J. O. et al. A net carbohydrate and protein system for evaluating cattle diets: II. Carbohydrate and protein availability. Journal Animal Science, v. 70, n. 11, p. 3562-3577, 1992.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.