Potencial fisiológico de sementes de arroz tratadas com biorregulador vegetal

Elvis Felipe Elli, Gean Charles Monteiro, Stela Maris Kulczynski, Braulio Otomar Caron, Velci Queiróz de Souza

Resumo


Os biorreguladores são compostos naturais ou sintéticos que têm a capacidade de estimular o desenvolvimento radicular e melhorar o desempenho das sementes. O trabalho objetivou avaliar o efeito da utilização do biorregulador vegetal Stimulate® no potencial fisiológico de sementes de arroz. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, em esquema fatorial 4 x 5, sendo quatro cultivares de arroz (IRGA Puitá, IRGA 417, IRGA 421, IRGA 424) e cinco doses de Stimulate® (0; 3; 6; 9 e 12 mL kg-1 de sementes), sendo avaliadas as seguintes características: teste de germinação, primeira contagem, plântulas anormais, teste de frio, teste de envelhecimento acelerado, emergência a campo, índice de velocidade de emergência, massa seca de plântula, comprimento da raiz primária e comprimento da parte aérea. A análise de variância identificou efeitos significativos na interação Cultivar x Dose em todas as variáveis, exceto para o teste de frio e o comprimento da parte aérea. O uso de bioestimulante proporcionou o aumento da germinação das sementes com potencial fisiológico reduzido e acréscimo no vigor das sementes de todas as cultivares. O potencial fisiológico de sementes de arroz é influenciado pela utilização de Stimulate®. As doses de 3 e 6 mL kg-1 de sementes são as mais recomendadas para a cultura, proporcionando aumentos significativos no seu desempenho fisiológico.

Palavras-chave


Stimulate®; Oryza sativa; Vigor

Texto completo:

PDF

Referências


ALBRECHT, L. P. et al. Aplicação de biorregulador na produtividade do algodoeiro e qualidade de fibra. Scientia Agraria, v. 10, n. 3, p. 191-198, 2009.

ALBRECHT, L. P. et al. Desempenho fisiológico das sementes de ervilha tratadas com biorregulador. Comunicata Scientiae, v. 5, n. 4, p. 464-470, 2014.

ALBRECHT, L. P.; BRACCINI, A. L, SCAPIM, C. A. Qualidade das sementes de soja produzidas sob manejo com biorregulador. Revista Brasileira de Sementes, v. 32, n. 4, p. 39-48, 2010.

ALMEIDA, A. S. et al. Bioativador no desempenho fisiológico de sementes de arroz. Revista Brasileira de Sementes, v. 33, n. 3, p. 501-510, 2011.

BRASIL. Ministério da Agricultura e Reforma Agrária. Regras para Análises de Sementes. Brasília, DF: CLAV: DNDV: SNDA: MA, 2009. 365 p.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução normativa nº 25, de 16 de dezembro de 2005. Padrões para produção e comercialização de sementes de arroz. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 20 dez. 2005. Disponível em: . Acesso em: 06 jan. 2014.

CAMPESTRINI, R. et al. Eficiência de genótipos de arroz no uso de nitrogênio em solos de terras altas. Pesquisa Agropecuária Pernambucana, v. 19, n. 1, p. 25-32. 2014.

CARVALHO, I. R. et al. Influência fisiológica de fitohormônios em híbridos de milho (zea mays l.). Sodebras, v. 9, n. 97, p. 3-8. 2014.

CASTRO, P. R. C.; PEREIRA, M. A. Bioativadores na agricultura. In: GAZZONI, D. L. (Coord.). Tiametoxam: uma revolução na agricultura brasileira. Petrópolis: Vozes, 2008. p.115-122.

CASTRO, P. R. C.; VIEIRA, E. L. Aplicações de reguladores vegetais na agricultura tropical. Guaíba: Livraria e Editora Agropecuária, 2001. 132 p.

DAN, L. G et al. Influence of bioregulator on physiological quality of maize seed during storage. Comunicata Scientiae, v. 5, n. 3, p. 286-294, 2014.

DANTAS, A. C. V. L. et al. Effect of gibberellic acid and the biostimulant® on the initial growth of tamarind. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 34, n. 1, p. 08-14, 2012.

FIDELIS, R. R. et al. Efeito da adubação fosfatada na qualidade fisiológica de sementes de arroz cultivadas em terras altas. Bioscience Journal, v. 29, n. 1, p. 15-21, 2013.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Levantamento Sistemático da Produção Agrícola. 2012. Disponível em: . Acesso em: 22 ago. 2013.

LESZCZYNSKI, R. et al. Influence of bio-regulatorson the seedgermination and seedling growth of onion cultivars. Acta Scientiarum, v. 34, n. 2, p. 187-192, 2012.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v. 2, n. 1, p. 176-177, 1962.

MARZARI, V. Influência da população de plantas, doses de nitrogênio e controle de doenças na produção e qualidade de grãos e sementes de arroz irrigado. 2005. 75 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2005.

MENEZES, N. L. et al. Temperaturas de secagem na integridade física, qualidade fisiológica e composição química de sementes de arroz. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 42, n. 4, p. 430-436, 2012.

OLIVEIRA, F. A. et al. Interação entre salinidade e bioestimulante na cultura do feijão caupi. Revista Brasileira Engenharia Agrícola Ambiental, v. 17, n. 5, p. 465-471, 2013.

PRADO NETO, M. et. al. Germinação de sementes de jenipapeiro submetidas à pré-embebição em regulador e estimulante vegetal. Ciência e Agrotecnologia, v. 31, n. 3, p. 693-698, 2007.

SANTOS, C. A. C. et al. Stimulate na germinação de sementes, emergência e vigor de plântulas de girassol. Bioscience Journal, v. 29, n. 2, p. 605-616, 2013.

SANTOS, C. M. G.; VIEIRA, E. L. Efeito de bioestimulante na germinação de sementes, vigor de plântulas e crescimento inicial do algodoeiro. Magistra, v. 17, n. 3, p. 124-130, 2005.

SAS LEARNING EDITION. Getting started with the SAS Learning Edition. Cary: SAS Institute, 2003. 200 p.

SILVA, T. T. de A. et al. Qualidade fisiológica de sementes de milho na presença de bioestimulantes. Ciência e Agrotecnologia, v. 32, n. 3, p. 840-846, 2008.

SOARES, V. N. et al. Physiological potential of rice seeds treated with rhizobacteria or the insecticide thiamethoxan. Revista Brasileira de Sementes, v. 34, n. 4, p. 563-572, 2012.

STENZEL, N. M. C. et al. Superação de dormência em sementes de atemóia e fruta-do-conde. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 25, n. 2, p. 305-308, 2003.

STOLLER DO BRASIL. Stimulate Mo em hortaliças. Cosmópolis: Stoller do Brasil. Divisão Arbore, 1998. v. 1. (Informativo técnico). TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia vegetal. 3.ed. Porto Alegre: Artmed, 2013. 918p.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.