Qualidade das águas do Rio Alegre, Espírito Santo

João Henrique Zonta, João Batista Zonta, Josiane Isabela da Silva Rodrigues, Edvaldo Fialho dos Reis

Resumo


O objetivo deste trabalho foi determinar a qualidade das águas do Rio Alegre. Para isso, foram analisadas características físico-químicas (temperatura, acidez, Oxigênio Dissolvido (OD), turbidez, sólidos totais, nitrogênio total, fósforo total, Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO)) e biológica (coliformes fecais) das águas em 4 pontos de coleta e 4 épocas do ano (outubro e dezembro de 2003 e março e julho de 2004) e calculado o Índice de Qualidade das Águas (IQA-CETESB). Constatou-se que a jusante dos distritos a água do Rio Alegre apresenta pior qualidade que a montante, com valores elevados de coliformes fecais, DBO e baixa percentagem de Oxigênio Dissolvido, resultantes do despejo no curso d’água de esgoto doméstico sem prévio tratamento. Na época das chuvas (Dezembro 2003 e Março 2004), houve uma queda no IQA, devido ao grande aumento da turbidez e sólidos totais da água, resultante do carreamento de partículas sólidas pelo escoamento superficial, elucidando o problema de falta de praticas de conservação de solo na bacia do Rio Alegre, com conseqüente perda de solo. A qualidade das águas variou de ruim a média para o período em estudo


Palavras-chave


Water quality index. Pollution. Watershed. Seasonal variation.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.