Teste de condutividade elétrica na avaliação da qualidade fisiológica de sementes de coentro

Salvador Barros Torres, Emanoela Pereira de Paiva, João Paulo Nobre de Almeida, Clarisse Pereira Benedito, Sara Monaliza Costa Carvalho

Resumo


Os testes de germinação e de vigor são componentes essenciais do processo de controle de qualidade das empresas produtoras de sementes. Diante disso, nesta pesquisa o objetivo foi estudar a metodologia do teste de condutividade elétrica, verificando sua eficiência na identificação de diferentes níveis de vigor de lotes de sementes de coentro. Para tanto, utilizaram-se quatro cultivares (Português, Super Verdão, Tabocas e Verdão), cada uma representada por quatro lotes de sementes, que inicialmente foram submetidas às avaliações do grau de umidade, germinação, primeira contagem de germinação e emergência de plântulas. O teste de condutividade elétrica foi realizado com 25 e 50 sementes embebidas em 50 e 75 mL de água destilada, a 25 ºC, por 2, 8 e 24 horas. O teste de condutividade elétrica é eficiente para a avaliação do potencial fisiológico de sementes de coentro quando conduzido com 50 sementes imersas em 50 mL de água destilada, a 25 ºC, após duas horas de embebição.

 


Palavras-chave


Coriandrum sativum; Hortaliça; Temperatura; Embebição; Vigor

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, C. Z.; SÁ, M. E. Teste de condutividade elétrica na avaliação do vigor de sementes de rúcula. Revista Brasileira de Sementes, v. 31, n. 1, p. 203-215, 2009.

ARAUJO, R. F. et al. Teste de condutividade elétrica para sementes de feijão-mungo-verde. Revista Brasileira de Sementes, v. 33, n. 1, p. 123-130, 2011.

BANZATO, D. A.; KRONKA, S. N. Experimentação agrícola. 4. ed. Jaboticabal: FUNEP, 2006. 237 p.

BERTINI, C. H. M. et al. Desempenho agronômico e divergência genética de genótipos de coentro. Revista Ciência Agronômica, v. 41, n. 3, p. 409-416, 2010.

BHERING, M. C. et al. Métodos para avaliação do vigor de sementes de pepino. Revista Brasileira de Sementes, v. 22, n. 2, p. 171-175, 2000.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Regras para análise de sementes. Brasília, DF: Mapa/ACS, 2009. 395 p.

CARVALHO, L. F. et al. Teste rápido de condutividade elétrica e correlação com outros testes de vigor. Revista Brasileira de Sementes, v. 31, n. 1, p. 239-248, 2009.

DUTRA, A. S.; MEDEIROS FILHO, S.; DINIZ, F. O. Teste de condutividade elétrica em sementes de Senna siamea (Lam.) H.S. Irwin & Barneby. Revista Ciência Agronômica, v. 38, n. 3, p. 280-285, 2007.

LOPES, M. M.; BARBOSA, R. M.; VIEIRA, R. D. Methods for evaluating the physiological potential of scarlet eggplant (Solanum aethiopicum) seeds. Seed Science and Technology, v. 40, n. 1, p. 86-94, 2012.

LOPÉZ, M. D.; JORDÁN, M. J.; PASCUAL-VILLALOBOS, M. J. Toxic compounds in essential oils of coriander, caraway and basil active against stored rice pests. Journal of Stored Products Research, v. 44, n. 3, p. 273-278, 2008.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v. 2, n. 2, p. 176-177, 1962.

MARCOS FILHO, J. et al. Testes para avaliação do vigor de sementes de soja e suas relações com emergência das plântulas em campo. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 19, n. 5, p. 605-613, 1984.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba: FEALQ, 2005. 495 p.

MARCOS FILHO, J. Testes de vigor: importância e utilização. In: KRZYZANOWSKI F. C; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. p. 1-21.

MARCOS FILHO, J.; VIEIRA, R. D. Electrical conductivity test. In: BAALBAKI, R. et al. Seed vigor testing handbook. 1. ed. New York: Ithaca, 2009. p. 186-200. (Contribution 32).

MEDEIROS, M. A. et al. Testes de estresse térmico em sementes de melão. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 9, n. 1, p. 7-13, 2014.

OLIVEIRA, A. P. et al. Desempenho de genótipos de coentro em Areia. Horticultura Brasileira, v. 25, n. 2, p. 252-255, 2007.

OLIVEIRA, A. P. et al. Produção e qualidade fisiológica de sementes de coentro em função de doses de nitrogênio. Revista Brasileira de Sementes, v. 28, n. 1, p. 193-198, 2006.

OLIVEIRA, S. R. S.; NOVEMBRE, A. D. L. C. Teste de condutividade elétrica para as sementes de pimentão. Revista Brasileira de Sementes, v. 27, n. 1, p. 31-36, 2005.

PEREIRA, R. S.; MUNIZ, M. F. B.; NASCIMENTO, W. M. Aspectos relacionados à qualidade de sementes de coentro. Horticultura Brasileira, v. 23, n. 3, p. 703-706, 2005.

POWELL, A. A. Cell membranes and seed leachate conductivity in relation to the quality of seed for sowing. Journal of Seed Technology, v. 10, n. 2, p. 81-100, 1986.

RAVI, R. PRAKASH, M. BHAT, K. K. Aroma characterization of coriander (Coriandrum sativum L.) oil samples. European Food Research and Technology, v. 225, n. 3-4, p. 367-374, 2007.

TORRES, S. B. et al. Deterioração controlada em sementes de coentro. Revista Brasileira de Sementes, v. 34, n. 2, p. 319-326, 2012.

TORRES, S. B.; PEREIRA, R. A. Condutividade elétrica em sementes de rúcula. Revista Brasileira de Sementes, v. 32, n. 4, p. 58-70, 2010.

VIDIGAL, D. S. et al. Teste de condutividade elétrica em sementes de pimenta. Revista Brasileira de Sementes, v. 30, n. 1, p. 168-174, 2008.

VIEIRA, R. D. et al. Condutividade elétrica e teor de água inicial das sementes de soja. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 37, n. 9, p. 1333-1338, 2002.

VIEIRA, R. D.; DUTRA, A. D. Condutividade elétrica em sementes de abóbora, híbrido Bárbara. Horticultura Brasileira, v. 24, n. 3, p. 305-308, 2006.

VIEIRA, R. D.; KRZYZANOWSKI, F. C. Teste de condutividade elétrica. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. p. 1-26.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.