Emergência de plântulas de Schizolobium amazonicum Huber ex Ducke (CAESALPINACEAE) em diferentes substratos e sombreamento

Juliano Costa Gondin, Josué Bispo da Silva, Charline Zaratin Alves, Alek Sandro Dutra, Lino Elias Junior

Resumo


Paricá (Schizolobium amazonicum Huber ex Ducke) é uma espécie da floresta amazônica que vem sendo intensamente utilizada nos programas de reflorestamento, tanto por ser de crescimento rápido como pelo bom comportamento em plantios homogêneos. O objetivo do trabalho foi avaliar a influência de substratos e sombreamento sobre a emergência e o vigor de plântulas de paricá. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições, em arranjo fatorial 10 x 2 (substrato e sombreamento). Os substratos comerciais utilizados foram casca de coco e terra vegetal, em mistura com casca de arroz, areia, pó de serra fresco e pó de serra curtido. Foram avaliados a emergência de plântulas, o índice de velocidade de emergência, o comprimento das raízes e da parte aérea, a matéria seca das raízes e da parte aérea, a frequência relativa e o tempo médio de emergência. Os substratos terra vegetal, casca de coco e casca de coco + areia em ambiente com 50% de sombreamento, e terra vegetal, terra vegetal + areia e casca de coco + areia a pleno sol proporcionaram os melhores resultados. A areia e o pó de serra fresco, ambos em mistura com casca de coco, podem ser usados na fase inicial de viveiro, devendo as mudas ser transplantadas para outro substrato ou o campo após 40 dias. A casca de arroz in natura não deve ser misturada com outros materiais para a utilização como substrato.

Palavras-chave


Luminosidade; Mudas florestais; Sementes; Vigor

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. S. Avaliação morfológica de mudas de Allophylus edulis (A. St. Hill., A. Juss. e Cambess.) Radl. (Vacum) e Schinus terebinthifolius Raddi (Aroeira) produzidas em diferentes substratos. 2005. 96 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2005.

ALMEIDA, S. M. Z. et al. Alterações morfológicas e alocação de biomassa em plantas jovens de espécies florestais sob diferentes condições de sombreamento. Ciência Rural, v. 35, n. 1, p. 62-68, 2005.

ALVES, E. U. et al. Substratos para testes de emergência de plântulas e vigor de sementes de Erythrina velutina Willd., Fabaceae. Semina: Ciências Agrárias, v. 29, n. 1, p. 69-82, 2008.

BRAGA JUNIOR, J. M.; BRUNO, R. L. A.; ALVES, E. U. Emergência de plântulas de Zizyphus joazeiro MART (RHAMNACEAE) em função de substratos. Revista Árvore, v. 34, n. 4, p. 609-616, 2010.

BRASIL. Ministério da agricultura e Reforma Agrária. Secretaria Nacional de Defesa Agropecuária. Regras para análise de sementes. Brasília: SNDA, 2009. 365 p.

BURÉS, S. Sustratos. Madri: Agrotécnicas, 1997. 342 p.

CAMPOS, M. A. A.; UCHIDA, T. Influência do sombreamento no crescimento de mudas de três espécies amazônicas. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 37, n. 3, p. 281-288, 2002.

CHEN, Y.; AVIAD, T. Effects of humic substances on plant growth. In: MACCARTHY, P.; CLAPP, C. E.; MALCOLM, R. L.; BLOOM, P. R. (Eds.) Humic substances in soil and crop science: Selected Readings. American Society of Agronomy, Soil Science of America, 1990. p. 161-186.

CORDEIRO, I. M. C. C. et al. Germinação in vitro de paricá Schizolobium amazonicum Huber. Biotecnologia, Ciência e Desenvolvimento, v. 5, n. 27, p. 58-61, 2002.

CUNHA, A. O. et al. Efeitos de substratos e das dimensões dos recipientes na qualidade das mudas de Tabebuia impetiginosa (Mart. Ex D.C.) Standl. Revista Árvore, v. 29, n. 4, p. 507-516, 2005.

DAPONT, E. C. et al. Métodos para acelerar e uniformizar a emergência de plântulas de Schizolobium amazonicum. Revista Ciência Agronômica, v. 45, n. 3, p. 598-605, 2014.

DIAS FILHO, M. B. Physiological response of Solanum crinitum Lam. to contrasting light environments. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 32, n. 8, p. 789-796, 1997.

Embrapa. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. 2.ed. In: SANTOS, H. G. Sistema de classificação de solos. Rio de Janeiro: Embrapa Solos, 2006. 306 p.

GAZIEL FILHO, A. B. et al. Produção de biomassa em quatro procedências de Paricá (Schizolobium parahyba var. amazonicum (Huber ex Ducke) Barneby no estádio de muda. Revista Brasileira de Biociências, v. 5, supl. 2, p. 1047-1049, 2007.

GUIMARÃES, M. M. B. et al. Produção de muda de mamoneira em substrato contendo diferentes resíduos orgânicos e fertilizante mineral. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE MAMONA, 2., 2006, Aracaju. Anais... Aracajú: EMBRAPA, 2006. CD-ROM.

GRONINGER, J. W. et al. Growth and photosynthesis responses of four Virginia Piedmont tree species to shade. Tree Physiology, v. 16, n. 9, p. 773-778, 1996.

HOLT, J. S. Plant response to light: a potential tool for weed management. Weed Science, v. 43, p. 474-482, 1995.

LABOURIAU, L. G. A germinação das sementes. Washington: Secretaria da OEA; 1983. 173 p.

LOPES, J. L. W.; GUERRINI, I. A.; SAAD, J. C. C. Qualidade de mudas de eucalipto produzidas sob diferentes lâminas de irrigação e dois tipos de substrato. Revista Árvore, v. 31, n. 5, p. 835-843, 2007.

MAGUIRE, J. D. Speeds of germination-aid and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, v. 2, n. 2, p. 176-177, 1962.

MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. Avaliação do estado nutricional de plantas: princípios e aplicações. Piracicaba: Potafos, 1997. 308 p.

MATOS, G. D. et al. Desenvolvimento de mudas de paricá (Schizolobium amazonicum Huber ex Ducke) em substrato orgânico: estudo de caso. Synergismusscyentifica UFTPR, v. 4, n. 1, 2009.

MORAES NETO, S. P.; GONÇALVES, J. L. M. Efeitos da luminosidade sobre o estado nutricional de mudas de seis espécies arbóreas que ocorrem na Mata Atlântica. Revista Árvore, v. 25, n. 1, p. 29-38, 2001.

MORELLI, G.; RUBERTI, I. Shade avoidance responses: driving auxin along lateral routes. Plant Physiology, v. 122, n. 3, p. 621-626, 2000.

NAKAGAWA, J. Testes de vigor baseados na avaliação de plântulas. In: KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA-NETO, J. B. (Ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: ABRATES, 1999. p. 1.2-1.24.

NEGREIROS, J. R. S. et al. Diferentes substratos na formação de mudas de maracujazeiro-amarelo. Revista Ceres, v. 51, n. 294, p. 243-343, 2004.

ROCHA, M. Q.; COGO, C. M.; OLANDA, R. B. Casca de arroz in natura como substrato para produção de mudas de tomateiro. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 2, n. 2, p. 1208-1211, 2007.

ROSA, M. F. et al. Caracterização do pó da casca de coco verde usado como substrato agrícola. Fortaleza: Embrapa Agroindústria Tropical, 2001. 6 p. (Comunicado técnico, 5).

ROWEDER, C.; NASCIMENTO, M. S.; SILVA, J. B. Uso de diferentes substratos e ambiência na germinação e desenvolvimento inicial de plântulas de cedro. Revista Brasileira de Tecnologia Aplicada nas Ciências Agrárias, v. 5, n. 1, p. 27-46, 2012.

SANTOS, E. M.; CAMPOS, R. A. S. Germinação de sementes de ipê-amarelo Tabebuia ochracea (Chamb.) Standl. (BIGNONIACEAE) em diferentes substratos. In: JORNADA CIENTÍFICA DA UNEMAT, 2., 2009, Barra do Bugres. Anais... Barra do Bugres: UNEMAT, 2009.

SILVA, M. L. S. et al. Desenvolvimento de mudas de maracujazeiro (Passiflora edulis Sims f. flavicarpa Deg.) sob diferentes níveis de sombreamento. Acta Scientiarum Agronomy, v. 28, n. 4, p. 513-521, 2006.

TAIZ, L.; ZEIGER, E. Fisiologia Vegetal, 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004. 719 p.

TRIGUEIRO, R. M.; GUERRINI, I. A. Uso de biossólido como substrato para produção de mudas de eucalipto. Scientia Forestalis, n. 64, p. 150-162, 2003.

VALERI, S. V.; CORRADINI, L. Fertilização em viveiro para produção de mudas de Eucalyptus e Pinus. In: GONÇALVES, J. L. M.; BENEDETTI, V. Nutrição e fertilização florestal. Piracicaba: IPEF, 2000. p. 168-90.

WENDLING, I.; GATTO, A. Substratos, adubação e irrigação na produção de mudas. Viçosa: Aprenda Fácil, 2002. 165 p.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.