Resposta de seis variedades de cana-de-açúcar a doses de potássio em ecossistema de cerrado de Roraima

Sandra Cátia Pereira Uchôa, Hélio de Oliveira Alves Junior, José Maria Arcanjo Alves, Valdinar Ferreira Melo, Gilvan Barbosa Ferreira

Resumo


O cerrado de Roraima apresenta duas estações climáticas bem definidas, uma chuvosa (abril-agosto) e outra seca (outubro-março)

que favorecem ao cultivo da cana-de-açúcar. Objetivou-se com este trabalho estudar a resposta de seis variedades de cana-de-açúcar a doses de potássio. O delineamento experimental foi o de blocos casualizados, em esquema fatorial 6 x 5, sendo seis variedades (RB72454, SP81-3250, SP79-1011, SP80-1816, RB867515 e RB855536) e cinco doses de potássio (0; 80; 160; 240 e 320 kg ha-1 de K2O), com quatro repetições. Avaliou-se o número de colmos por metro, altura dos colmos, diâmetro médio do colmo, massa média do colmo, teor de potássio na folha, produtividade de colmo, oBrix e índice de maturação (IM). As variedades responderam de modo quadrático as doses de potássio para todas as variáveis estudadas, excetuando-se o oBrix e o IM. Todas as variedades apresentaram um ciclo inferior a 11 meses com oBrix superior a 18%. As doses de potássio proporcionaram incrementos entre 55 e 186% na produtividade de colmo. A dose de máxima eficiência econômica variou de 94 a 165 kg ha-1 de K2O. As variedades RB72454 e RB867515 foram as que se mostraram mais promissoras nesta primeira avaliação, apresentando produtividade de colmos de 50,39 and 56,86 t ha-1, respectivamente.

 


Palavras-chave


Saccharum spp; Cana-planta; Fertilidade do solo; Produtividade.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.