Avaliação da morfologia interna de sementes de Terminalia argentea (Combretaceae) pelo teste de raios X

Kever Bruno Paradelo Gomes, Rosana de Carvalho Cristo Martins, Ildeu Soares Martins, Francisco Guilhien Gomes Junior

Resumo


As espécies florestais, particularmente as de Cerrado, são caracterizadas pela alta ocorrência de predação, frutos vazios e deficiência na formação do embrião. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a morfologia interna de sementes de Terminalia argentea Mart. et Zucc. pelo teste de raios X e verificar a sua relação com a germinação. O experimento foi conduzido no Laboratório de Análise de Imagens do Departamento de Produção Vegetal da Escola Superior “Luis de Queiroz” na cidade de Piracicaba, SP. Três lotes de sementes de T. argentea foram coletados e levados ao Laboratório onde se procederam as análises radiográficas com 200 sementes de cada lote. As sementes foram posicionadas a 28,0 cm da fonte de emissão de raios X, utilizando o equipamento digital Faxitron X-ray, modelo MX-20 DC 12. Em seguida as sementes foram classificadas de acordo com a morfologia interna visualizada nas imagens radiográficas, sendo estabelecidas três categorias: sementes Cheias, Vazias e Mal formadas. Para cada categoria de sementes realizou-se o teste de germinação. O delineamento estatístico utilizado foi em esquema fatorial, com três lotes e três categorias. Pelos resultados obtidos neste trabalho, a utilização do teste de raios X em sementes de Terminalia argentea é promissora na detecção da qualidade dos frutos dos lotes de sementes, auxiliando na separação de sementes vazias e com anormalidades embrionárias, inviabilizando seu uso de imediato ou para armazenamento. O teste de raios X, na intensidade de 26 kV por 1,2 segundos é eficiente na avaliação da morfologia interna de sementes de Terminalia argentea.

Palavras-chave


Análise de imagens; Espécie arbórea do Cerrado; Germinação

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, K. S.; GUIMARÃES, R. M. Avaliação da qualidade de sementes de sucupira-preta (Bowdichia virgilioides Kunth.) pelo teste de raios X. Revista Ciência e Agrotecnologia, v. 32, n. 6, p. 1713-1718, 2008.

AMARAL, J. B. et al. Teste de raios x para avaliação do potencial fisiológico de sementes de ipê-roxo. Revista Brasileira de Sementes, v. 33, n. 4, p. 601-607, 2011.

ANDRADE, R. N. B. et al. Correlação entre testes de vigor em sementes de cenoura armazenadas por diferentes períodos. Pesquisa Agropecuária Gaúcha, v. 1, n. 2, p. 153-162, 1995.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. SDA: Brasília: MAPA/ACS, 2009. 399 p.

CARVALHO, P. E. R. Espécies arbóreas brasileiras. Brasília: Embrapa Informação Tecnológica; Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Colombo: Embrapa Floresta, 2003. 1039 p.

CARVALHO, M. L. M.; OLIVEIRA, L. M. Raios x na avaliação da qualidade de sementes. Informativo Abrates, v. 6, n. 1, 2, 3, p. 93-99, 2006.

CARVALHO, L, R.; CARVALHO, M. L. M.; DAVIDE, A. C. Utilização do teste de raios x na avaliação da qualidade de sementes de espécies florestais de Lauraceae. Revista Brasileira de Sementes, v. 31, n. 4, p. 57- 66, 2009.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 5. ed. Jaboticabal: Funep, 2012. 590 p.

GOMES JUNIOR, F. G. Aplicação da análise de imagens para avaliação da morfologia interna de sementes. Informativo ABRATES, v. 20, n. 3, p. 33-51, 2010.

INTERNACIONAL SEED TESTING ASSOCIATION. International Rules for seed Testing. Handbook of vigour test methods. 3. ed. Zurich: ISTA, 1995. 117 p.

IVANI, S. A. et al. Morfologia de frutos, sementes e plântulas de castanheira (Terminalia catappa L. - combretaceae). Revista Brasileira de Fruticultura, v. 30, n. 2, p. 517-522, 2008.

FERREIRA, R. A. et al. Caracterização morfológica de fruto, semente, plântula e muda de capitão-do-campo (Terminalia argentea Mart. & Zucc. - Combretaceae). Revista Brasileira de Sementes, v. 20, n. 2, p. 202-209, 1998.

LORENZI, H. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil. 5. ed. Nova Odessa, SP. Instituto Plantarum, 2008. 352 p. v. 1.

MACHADO, C. F.; CICERO, S. M. Aroeira-branca (Lithraea molleoides (Vell.) Engl. - Anacardiaceae) seed quality evaluation by the X-ray test. Scientia Agricola, v. 60, n. 2, p. 393-397, 2003.

MARCOS FILHO, J. et al.. Using tomato analyzer software to determine embryo size in x-rayed seeds. Revista Brasileira de Sementes, v. 32, n. 2, p. 146-153, 2010.

MASETTO, T. E.; FARIA, J. M. R.; QUEIROZ, S. E. Avaliação da qualidade de sementes de cedro (Cedrella fissilis - Meliaceae) pelo teste de raios X. Ciência e Agrotecnologia, v. 32, n. 6, p. 1-7, 2008.

NETTO, D. A. M.; FAIAD, M. G. R. Viabilidade e sanidade de sementes de espécies florestais. Revista Brasileira de Sementes, v. 17, n. 1, p. 75-80, 1995.

NOGUEIRA, N. W. et al. Diferentes temperaturas e substratos para germinação de sementes de Mimosa caesalpiniifolia Benth. Revista Ciências Agrárias, v. 56, n. 2, p. 95-98, 2013.

OLIVEIRA, A. K. M.; FARIAS, G. C. Efeito de diferentes substratos na germinação de sementes de Terminalia argêntea (Combretaceae). Revista Brasileira de Biociências, v. 7, n. 3, p. 320-323, 2009.

OLIVEIRA, L. M.; CARVALHO, M. L. M.; DAVIDE, A. A utilização do teste de raios-X na avaliação da qualidade de sementes de canafístula (Peltophorum dubium (Sprengel) Taubert). Revista Brasileira de Sementes, v. 25, n. 1, p. 116-120, 2003.

OLIVEIRA, L. M. et al. Avaliação da qualidade de sementes de Tabebuia serratifolia Vahl Nichi. e T. impetigiosa (Martius ex A. P. de Candolle Standley) - (Bignoniaceae) pelo teste de raios x. Revista Brasileira de Sementes, v. 26, n. 2, p.138-143, 2004.

PUPIM, T. L. et al. Adequação do teste de raios x para avaliação da qualidade de sementes de embaúba (Cecropia pachystachya Trec.). Revista Brasileira de Sementes, v. 30, n. 2, p. 28-32, 2008.

SALOMÃO, A. N.; SANTOS, I. R. I.; CUNHA, R. Germinação de sementes e produção de mudas de plantas do cerrado. Brasília: Rede de Sementes do Cerrado. 2003. 96 p.

SALOMÃO, A. N. et al. Padrões de germinação e comportamento para fins de conservação de sementes de espécies autóctones: madeiras, alimentícias, medicinais e ornamentais. Brasília: Embrapa CENARGEN, p. 1-17, 1997. (Comunicado Técnico, n. 3).

SILVA, J. M.; MORAES, M. L. T.; SEBBENN, A. M. Autocorrelação espacial em populações natural de Terminalia argentea Mart et Zucc. no cerrado de Selvíria, MS. Scientia Forestalis, v. 2, n. 66, p. 94-99, 2004.

SIMAK, M.; GUSTAFSSON, Ã. X-ray photography and sensitivity in Forest tree species. Hereditas, v. 39, n. 2, p. 458-468, 1953.

SOUZA, L. A. et al. Utilização de raios x na avaliação da qualidade fisiológica de sementes de sucupira branca (Pterodon emarginatus Vog). Informativo Abrates, v. 15, n. 1, 2 e 3, p. 284, 2005.

SOUZA, L. et al. Uso de raios x na avaliação da qualidade de sementes de Platypodium elegans Vog. Revista Ciência Agronômica, v. 39, n. 2, p. 343-347, 2008.

STURIÃO, W. P.; LANDGRAF, P. R. C.; ROSA, T. P. Avaliação da qualidade fisiológica de sementes de palmeira jerivá pelo teste de raios x. Semina: Ciências Agrárias, v. 33, n. 1, p. 213-218, 2012.

TONETTI, O. A. O.; DAVIDE, A. C.; SILVA, E. A. A. Qualidade física e fisiológica de sementes de Eremanthus erythropappus (D.C) Mac Leisch. Revista Brasileira de Sementes, v. 28, n. 1, p. 114-121, 2006.

VECHIATO, M. H. Importância da qualidade sanitária de sementes de florestais na produção de mudas. 2010. Artigo em hipertexto. Disponível em: . Acesso em: 31 jan. 2013.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.