Equações de intensidade-duração-frequência de chuvas para o estado do Piauí

Alcinei Ribeiro Campos, Glenio Guimarães Santos, João Batista Lopes Silva, João Irene Filho, Domingos de Sousa Loura

Resumo


Neste trabalho objetivou-se ajustar e comparar os parâmetros (K, a, b e c) da equação de intensidade-duração-frequência para precipitações pluviais máximas de 133 estações pluviométricas localizadas no estado do Piauí, disponíveis no banco de dados da Agência Nacional de Águas - ANA. Inicialmente, foi realizada a seleção das estações através de analise de consistência das séries de dados, a partir do qual foram selecionadas 105 estações pluviométricas. As chuvas máximas de um dia foram desagregadas em duração de 5; 10; 15; 20; 25; 30; 60; 360; 480; 600; 720 e 1.440 minutos e estimadas as chuvas máximas através de modelos probabilísticos para cada duração e período de retorno de 5; 10; 25; 50 e 100 anos. Em seguida, fez-se o ajuste dos parâmetros (K, a, b e c) através do emprego de regressão linear e não linear. O ajuste dos parâmetros da equação de intensidade-duração-frequência para precipitações máximas realizado por regressão não linear apresentou R2 (0,99) superior aos valores ajustados por regressão linear (0,98).

Palavras-chave


Hidrologia; Precipitação; Chuvas-Frequência da intensidade

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS. Hidroweb - Sistemas de Informações Hidrológicas. 2012. Disponível em: . Acesso em: 28 de março 2013.

ARAGÃO, R. et al. Chuvas intensas para o estado de Sergipe com base em dados desagregados de chuva diária. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 17, n. 3, p. 243-252, 2013.

ARAÚJO, L. E. et al. Análise estatística de chuvas intensas da bacia hidrográfica do Rio Paraíba. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 23, n. 2, p. 162-169, 2008.

CECÍLIO, R. A. et al. Avaliação de interpoladores para os parâmetros das equações de chuvas intensa no Espirito Santo. Ambi-Água, v. 4, n. 3, p. 82-92, 2009.

COMPANHIA DE TECNOLOGIA DE SANEAMENTO AMBIENTAL. Drenagem urbana: manual de projeto. São Paulo: DAEE/CETESB, 1986. 466 p.

DAMÉ, R. C. F.; TEIXEIRA, C. F. A; TERRA, V. S. S. Comparação de diferentes metodologias para estimativa de curvas intensidade-duração-frequência para pelotas - RS. Revista Engenharia Agrícola, v. 28, n. 2, p. 245-255, 2008.

DENARDIN, J.; FREITAS, P. L. Características fundamentais da chuva no Brasil. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 17, n. 10, p. 1409-1416, 1982.

GUEDES, R. V. S. et al. C. Análise em componentes principais da precipitação pluvial no estado do Piauí e agrupamento pelo método de ward. Revista de Geografia, v. 27, n. 1, p. 208-233, 2010.

MELLO, C. R. et al. Krigagem e inverso do quadrado da distância para interpolação dos parâmetros da equação de chuvas intensas. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 27, n. 5, p. 925-933, 2003.

MELLO, C. R.; SILVA, A. M. Métodos estimadores dos parâmetros da distribuição de Gumbel e sua influência em estudos hidrológicos de projeto. Irriga, v. 10, n. 4, p. 318-334, 2005.

MORUZZI, R. B.; OLIVEIRA, S. C. Relação entre intensidade, duração e frequência de chuvas em Rio Claro, SP: métodos e aplicação. Teoria e Prática da Engenharia Civil, v. 9, n. 13, p. 59-68, 2009.

NAGHETTINI, M.; PINTO, E. J. A. Hidrologia Estatística. Belo Horizonte: CPRM, 2007. 552 p.

OLIVEIRA, L. F. C. et al. Intensidade-duração-frequência de chuvas intensas para localidades no Estado de Goiás e Distrito Federal. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 35, n. 1, p. 13-18, 2005.

PFAFSTETTER, O. Chuvas intensas no Brasil. Brasília: Departamento Nacional de Obras e Saneamento, 1957. 246 p.

RODRIGUES, J. O. et al. Equações de intensidade-duração-frequência de chuvas para as localidades de Fortaleza e Pentecoste, Ceará. Scientia Agraria, v. 9, n. 4, p. 511-519, 2008.

SANTOS, G. G. et al. Intensidade-duração-frequência de chuvas para o Estado de Mato Grosso do Sul. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 13, p. 899-905, 2009. Suplemento.

SANTOS, G. G.; GRIEBELER, N. P.; OLIVEIRA, L. F. C. Chuvas intensas relacionadas à erosão hídrica. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 14, n. 2, p. 115-123, 2010.

SILVA, B. M. et al. Chuvas Intensas em localidades do Estado de Pernambuco. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v. 17, n. 3, p. 135‐147, 2012.

SILVA, D. D. et al. Equações de intensidade-duração-frequência da precipitação pluvial para o Estado de Tocantins. Engenharia na Agricultura, v. 11, n. 4, p. 1-8, 2003.

SILVA, D. D. et al. Chuvas intensas no Estado da Bahia. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 6, n. 2, p. 362-367, 2002.

SOUSA, H. T. et al. SisCAH - Sistema Computacional para Análise Hidrológica. Versão 1.0. GPRH, 2009.

TUCCI, C. E. M. Hidrologia: ciência e aplicação. 2. ed. Porto Alegre: UFRGS, 2001. 943 p.

VILLELA, S. M.; MATTOS, A. Hidrologia Aplicada. São Paulo: McGraw Hill do Brasil, 1975. 245 p.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.