Degradação de silagens de capim-elefante contendo subproduto do urucum

Aníbal Coutinho Rêgo, Magno José Duarte Cândido, Elzânia Sales Pereira, José Valmir Feitosa, Margareth Maria Teles Rêgo

Resumo


Objetivou-se avaliar a degradação in situ da matéria seca, proteína bruta e fibra em detergente neutro de silagens de capim-elefante contendo cinco níveis (0; 4; 8; 12 e 16%, com base na matéria natural da massa ensilada) de inclusão do subproduto do grão do urucum (SGU). O delineamento utilizado foi inteiramente casualizado em parcelas subdivididas, sendo os níveis de adição às parcelas e os tempos de incubação as subparcelas, com quatro repetições. Para a confecção da silagem, foi utilizado capim-elefante cortado aos 70 dias de crescimento e misturado ao subproduto, armazenado em 20 tambores. As amostras foram pré-secas, moídas em moinho, com peneira de 5 mm, colocado 3 g de amostra em sacos de náilon, para incubação no rúmen por 0; 6; 48 e 96 horas em 2 ovinos sem padrão racial definido, machos e castrados. Observou-se um aumento no desaparecimento da MS até o nível 13,37% de adição de SGU à ensilagem de capim-elefante para 48 horas de incubação. Para a FDN o desaparecimento com 96 horas de incubação aumentou até 16% de adição. Para o conjunto de parâmetros de degradação estudado, observou-se que o nível de inclusão de 16% do SGU apresentou maiores valores para a degradabilidade potencial e efetiva das variáveis em questão. A inclusão do subproduto do grão do urucum à ensilagem de capim-elefante resulta em silagens com maior degradabilidade potencial e efetiva.


Palavras-chave


Bixa orellana L.; Degradabilidade; Ensilagem; Ovinos; Pennisetum purpureum Schum

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.