Mn foliar sobre a qualidade sanitária e lignina de sementes de soja convencional e resistente ao glifosato

Everson Reis Carvalho, João Almir Oliveira, Leandro Vilela Reis, Thaís Francielle Ferreira

Resumo


O Mn pode estar associado à resistência das plantas aos fungos, por meio da lignificação ou inibição direta. Objetivou-se neste trabalho avaliar a aplicação foliar de Mn sobre a incidência de fungos, teores de Mn e de lignina nas sementes de soja oriundas de cultivares convencionais e de suas derivadas transgênicas resistentes ao glifosato (RR). O ensaio foi conduzido na Universidade Federal de Lavras, em blocos casualizados, com três repetições e esquema fatorial 4 x 4 x 2, sendo quatro cultivares de soja, duas convencionais e suas derivadas RR (BRS Celeste e BRS Baliza RR; BRSGO Jataí e BRS Silvânia RR), quatro doses de Mn via foliar (0; 200; 400 e 600 g Mn ha-1) e dois estádios de aplicação (R1 ou R3). Antes e após seis meses de armazenamento, as sementes foram submetidas ao teste de sanidade (Blotter test). Foram determinados os teores de Mn nas sementes e de lignina no tegumento. Verificou-se que a aplicação foliar de Mn proporciona menores incidências de Cercospora kikuchii, Fusarium spp. e Aspergillus spp. nas sementes de soja produzidas. O Mn aplicado via foliar na soja, tanto no estádio R1 como em R3, transloca até as sementes, mas não afeta a produção de lignina no tegumento das mesmas. Os teores de lignina no tegumento das sementes de soja são inferiores nas cultivares convencionais, Celeste e Jataí, em relação às suas derivadas transgênicas resistentes ao glifosato, Baliza RR e Silvânia RR.


Palavras-chave


Glycine max; Manganês; Patógenos; Transgênicos

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, G. J. M.; ROSOLEM, C. A. Absorção de manganês em soja RR sob efeito do glifosate. Revista Brasileira de Ciência do Solo, v. 35, n. 3, p. 961-968, 2011.

BELLALOUI, N. Soybean seed phenol, lignin, and isoflavones and sugars composition altered by foliar boron application in soybean under water stress. Food and Nutrition Sciences, v. 3, n. 4, p. 579-590, 2012.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília, 2009. 395 p.

CAPELETI, I. et al. A new procedure for quantification of lignin in soybean (Glycine max (L.) Merril) seed coat and their relationship with the resistance to mechanical damage. Seed Science and Technology, v. 33, n. 2, p. 511-515, 2005.

COSTA, N. P. et al. Efeito da colheita mecânica da soja nas características físicas, fisiológicas e químicas das sementes em três estados do Brasil. Revista Brasileira de Sementes, v. 23, n. 1, p. 140-145, 2001.

DANTAS, A. A. A.; CARVALHO, L. G.; FERREIRA, E. Classificação e tendências climáticas em Lavras, MG. Ciência e Agrotecnologia, v. 31, n. 6, p. 1862-1866, 2007.

DANTAS, I. B. et al. Influence of lignin content in soybean seed coat on the incidence of the storage fungus Aspergillus flavus. Revista Brasileira de Sementes, v. 34, n. 4, p. 541-548, 2012.

FEHR, W. R. et al. Stage of development descriptions for soybeans, Glycine max (L.) Merril. Crop Science, v. 11, n. 6, p. 929-931, 1971.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, v. 35, n. 6, p. 1039-1042, 2011.

GORDON, B. Manganese nutrition of glyphosate-resistant and conventional soybeans. Better Crops, v. 91, n. 4, p. 12-13, 2007.

GRAHAM, R. D.; WEBB, M. J. Micronutrientes and disease resistance and tolerance in plants. In: MORTVEDT, J. J. (Ed.). Micronutrients in Agriculture. Madison: Soil Science Society of America, 1991. p. 329-369.

GRIS, C. F. et al. Qualidade fisiológica e teor de lignina no tegumento de sementes de soja convencional e transgênica RR submetidas a diferentes épocas de colheita. Ciência e Agrotecnologia, v. 34, n. 2, p. 374-381, 2010.

HUBER, D. M. What about glyphosate-induced manganese deficiency? Fluid Journal, v. 15, n. 4, p. 20-22, 2007.

MALAVOLTA, E. Manual de nutrição mineral de plantas. São Paulo: Agronômica Ceres, 2006. 638 p.

MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. Avaliação do estado nutricional da planta: princípios e aplicações. 2. ed. Piracicaba: Potafos, 1997. 319 p.

MARSCHNER, H. Mineral nutrition of higher plants. 2nd ed. San Diego: Academic, 1995. 889 p.

PANOBIANCO, M. et al. Electrical conductivity of soybean seed and correlation with seed coat lignin content. Seed Science and Technology, v. 27, n. 3, p. 945-949, 1999.

RIBEIRO, A. C.; GUIMARÃES, P. T. G.; ALVAREZ, V. V. H. (Ed.). Recomendação para o uso de corretivos e fertilizantes em Minas Gerais: 5ª aproximação. Viçosa: Comissão de Fertilidade do Solo do Estado de Minas Gerais, 1999. 359 p.

SILVA, M. A. D.; VIEIRA, R. D.; SANTOS, J. M. Influência do envelhecimento acelerado na anatomia da testa de sementes de soja, cv. Monsoy 8400. Revista Brasileira de Sementes, v. 30, n. 2, p.091-099, 2008.

VASCONCELOS, E. S. et al. Análise não-paramétrica da sanidade de sementes e índices de eliminação e classificação de genótipos de soja. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 43, n. 3, p. 341-348, 2008.

ZONETTI , P. C. et al. Growth and root lignification of susceptible and glyphosate-resistant soybean. Acta Scientiarum Agronomy, v. 33, n. 2, p. 291-295, 2011.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.