Use of mathematical models in the study of bodily growth in GIFT strain Nile tilapia

Alda Lúcia de Lima Amancio, José Humberto Vilar da Silva, João Batista Kochenborger Fernandes, Nilva Kazue Sakomura, George Rodrigo Beltrão da Cruz

Resumo


Objetivou-se com o presente estudo avaliar a acurácia de cinco modelos matemáticos (Gompertz, Logístico, Linear Hiperbólico, Quadrático e Quadrático Logarítmico) para descrever a curva de crescimento de tilápia nilótica Oreochromis niloticus da linhagem GIFT e, realizar a caracterização da trajetória do crescimento das partes corporais. Para tal, 1.000 alevinos com peso inicial de 2,4 g foram estocados em 20 tanques de alvenaria de 2 m3 numa densidade de 25 peixes m-3, por um período de 180 dias. Os animais foram alimentados diariamente, utilizando níveis de proteína e número de refeições diárias de acordo com cada fase. Quinzenalmente, foram amostrados aleatoriamente 20 peixes, submetidos a um jejum de 48 h e abatidos por choque térmico, para determinação dos pesos do peixe inteiro, peles sem escamas, filés sem pele, coração, fígado, brânquias e trato gastrointestinal. Os modelos Gompertz e Logístico foram os que mais se adequaram ao ajuste da curva de crescimento do peso vivo, do filé e da pele, todavia, o Logístico subestimou os pesos assintóticos. Desta forma, sugere-se o Gompertz para descrever a curva de crescimento de tilápia nilótica da linhagem GIFT. De acordo com os parâmetros estimados pelo modelo Gompertz, a tilápia nilótica atinge a idade de máximo crescimento do filé e pele antes da idade do peso vivo. Dentre os órgãos estudados, o crescimento do trato gastrointestinal e brânquias é mais precoce do que o do coração e fígado.

Palavras-chave


Oreochromis niloticus; Curva de crescimento; Gompertz; Taxa de crescimento

Texto completo:

PDF

Referências


AGUILAR, F. A. Modelos matemáticos no lineales como herramienta para evaluar el crecimiento de tilapia roja (Oreochromis spp.) y tilapia nilótica (Oreochromis niloticus Var. Chitralada)” alimentadas con dietas peletizadas o extruidas. 2010. 135 f. Dissertação (Mestrado em Produção Animal) - Faculdade de Medicina Veterinária e de Zootecnia, Universidade Nacional de Colômbia, Bogotá, 2010.

BIANCHINI SOBRINHO, E. Estudo da curva de lactação de vacas da raça Gir. 1984. 88 f. Tese (Doutorado em Genética). Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 1984.

COSTA, A. C. et al. Avaliação do crescimento de tilápias de diferentes linhagens através de modelos não lineares. Archivos de Zootecnia, v. 58, p. 561-564, 2009. Suplemento 1.

CRUZ, G. R. B.; COSTA, R. G.; RIBEIRO, M. N. Curva de crescimento de caprinos mestiços no estado da Paraíba. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, v. 4, n. 2, p. 204-210, 2009.

DAVE, B. K. Frist lactation curve of Indian water buffalo. Jawaharlal Nehru Krishi Vishwa Vidyalaya Research Journal, v. 5, n. 2, p. 93, 1971.

FIALHO, F. B. Interpretação da curva de crescimento de Gompertz. Embrapa Suínos e Aves, 1999. p. 1-4. (Comunicado Técnico, 237).

FREITAS A. R. Curvas de crescimento na produção animal. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 34, n. 3, p. 786-795, 2005.

GOLTEMAN, H. L.; CLYMO, R. S.; OHNSTAD, M. A. M. Methods for physical and chemical analysis of freshwater. London: Blackwell Sci. Publ, 1978. 213 p.

GOUS, R. M. et al. Evaluation of the parameters needed to describe overall growth, the chemical growth and the growth of feathers and breast muscles of broiler. Poultry Science, v. 78, n. 6, p. 812-821, 1999.

GUILLAUME, J. et al. Nutrición y alimentación de peces y crustáceos. Madrid: Mundi-Prensa, 2004. 475 p.

GUPTA, M. V.; ACOSTA, B. O. From drawing board to dining table: The success story of the GIFT project. NAGA, WorldFish Center Quarterly, v. 27, n. 3/4, p. 4-14, 2004.

HERNANDEZ-LLAMAS, F.; RATKOWSKY, D. A. Growth of fishes, crustaceans and molluscs: estimation of the von Bertalanffy, Logistic, Gompertz and Richards curves and a new growth model. Marine Ecology Progress Series, v. 282, p. 237-244, 2004.

KATSANEVAKIS, S.; MARAVELIAS, C. D. Modelling fish growth: multi-model inference as a better alternative to a priori using von Bertalanffy equation. Fish and Fisheries, v. 9, n. 2, p. 178-187, 2008.

LI, S.-F. et al. Improving growth performance and caudal fin stripe pattern in selected F6–F8 generations of GIFT Nile tilapia (Oreochromis niloticus L.) using mass selection. Aquaculture Research, v. 37, n. 12, p. 1165-1171, 2006.

LIU, K. M.; CHANG, W. Y. B. Bioenergetic modelling of effects of fertilization, stocking density, and spawning on growth of the Nile tiiapia, Oreochromis niloticus (L.). Aquaculture and Fisheries Management, v. 23, p. 291-301, 1992.

MARCATO, S. M. Características do Crescimento Corporal, dos Órgãos e Tecidos de Duas Linhagens Comerciais de Frangos de Corte. 2007. 183 f. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”, Jaboticabal, 2007.

PINHEIRO, L. M. S. et al. Rendimento industrial de filetagem da tilápia tailandesa (Oreochromis spp.). Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v. 58, n. 2, p. 257-262, 2006.

RANCE, K. A.; McENTEE, G. M.; McDEVITT, R. M. Genetic and phenotypic relationships between and within support and demand tissues in a single line of broiler chicken. British Poultry Science, v. 43, n. 4, p. 518-527, 2002.

RUTTEN, M. J. M.; BOVENHUIS, H.; KOMEN, H. Modeling fillet traits based on body measurements in three Nile tilapia strains (Oreochromis niloticus L.). Aquaculture, v. 231, n. 1/4, p. 113-122, 2004.

SANTOS, V. B. et al. Avaliação de curvas de crescimento morfométrico de linhagens de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus). Ciência e Agrotecnologia, v. 31, n. 5, p. 1486-1492, 2007.

SARMENTO, J. L. R. et al. Estudo da curva de crescimento de ovinos Santa Inês. Revista Brasileira de Zootecnia, v. 35, n. 2, p. 435-442, 2006.

SAS INSTITUTE. SAS/STAT User’s guide. Version 6.12. Cary, North Caroline: SAS Institute Inc., 1996.

SCHINONI, M. I. Fisiologia Hepática. Gaz. Méd. Bahia, v. 76, p. 5-9, 2006. Suplemento 1

SOUZA, M. L. R. et al. Efeito do peso de tilápia do Nilo (Oreochromis niloticus) sobre o rendimento e a qualidade de seus filés defumados com e sem pele. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 25, n. 1, p. 51-59, 2005.

THOLON, P.; QUEIROZ, S. A. Modelos matemáticos utilizados para descrever curvas de crescimento em aves aplicados ao melhoramento genético animal. Ciência Rural, v. 39, n. 7, p. 2261-2269, 2009.

URBINATI, E. C.; CARNEIRO, P. C. F. Práticas de manejo e estresse dos peixes em piscicultura. In: CYRINO, J. E. P. et al. Tópicos especiais em piscicultura de água doce tropical intensiva. São Paulo: TecArte, 2004. cap. 6, p. 171-193.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.