Oviposição e alimentação do bicudo, Anthonomus grandis Boheman, em linhagens mutantes de algodoeiro herbáceo de cultura de soca

Fanuel Pereira da Silva, Ana Paula Leite Bezerra, Análice Fernandes da Silva

Resumo


A cultura do algodoeiro herbáceo (Gossypium hirsutum L.) podado é aquela na qual a parte aérea da planta é cortada após a colheita do primeiro ano, mas o restante: coroa e sistema radicular são deixados no solo para reiniciar o crescimento quando condições ambientais apropriadas prevalecerem. Esta prática é controvertida em função de ataques de insetos, pragas e doenças e em muitas partes do mundo é desaconselhada. O objetivo deste trabalho foi estudar o comportamento de linhagens de algodoeiro herbáceo contendo os mutantes morfológicos folha “okra”, bráctea “frego” e planta vermelha em todas as combinações homozigóticas possíveis, com relação ao ataque do bicudo (Anthonomus grandis Boheman.). O experimento foi conduzido em área experimental da Universidade Federal do Ceará, Brasil, durante os anos de 2001 e 2002. O delineamento experimental utilizado foi o de blocos ao acaso, com nove tratamentos e quatro repetições. As amostagens de botões florais com orifícios de alimentação e oviposição nas linhagens de algodoeiro com as três combinações de caracteres de não-preferência ao bicudo foram determinadas uma vez por semana, durante sete semanas. O baixo número de botões florais com orifícios de oviposição e alimentação encontrado nas plantas com o caráter bráctea frego associado com a cor vermelha da planta indicou nitidamente um efeito cumulativo de não preferência do bicudo por estes fenótipos.


Palavras-chave


Feed and oviposition punctures. Okra leaf. Frego bract. Red plant body.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.