Aparência e cor da película de pedúnculos de clones de cajueiro anão precoce para consumo in natura armazenados sob diferentes camadas de PVC.

Carlos Farley Herbster Moura, Raimundo Wilane de Figueiredo, Ricardo Elesbão Alves, Ebenézer de Oliveira Silva, Paolo Germanno Lima de Araújo

Resumo


O experimento teve como objetivo avaliar o efeito da atmosfera modificada por diferentes camadas de filme de cloreto de polivinila (PVC), em relação à aparência externa e coloração, sobre a conservação pós-colheita de pedúnculos de clones de cajueiro anão precoce CCP 76, BRS 189, END 183 e END 189 armazenados sob refrigeração (5 ºC). Os cajus foram colhidos no município de Beberibe-Ce, Brasil. Três frutos foram acondicionados em cada bandeja de isopor e embalados com duas, quatro, seis ou oito camadas de PVC, simulando diferentes permeabilidades. Realizou-se análises quanto à aparências com avaliação através de uma escala hedônica (notas de 0 a 4) e cor da película, definida através das variáveis luminosidades, cromaticidade e ângulo Hue. A vida útil pós-colheita para o clone CCP 76 foi de 16 dias, independente da embalagem. Para os outros clones ocorreu variação, dependendo da embalagem: clone BRS 189 variou entre 16 e 19 dias; clone END 183 variou entre 17 e 20 dias e para o END 189, sua vida útil foi de apenas 14 dias, não ocorrendo diferença entre as embalagens para esse último clone. Em todos os clones ocorreu uma elevação do ângulo Hue, o que significou uma tendência de amarelecimento do pedúnculo com o decorrer do tempo de armazenamento.


Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.