Efeito do oídio na produção e no teor de sólidos solúveis totais de frutos do meloeiro

Antonio Apoliano dos Santos, Francisco Marto Pinto Viana, José Emilson Cardoso, Júlio Cal Vidal

Resumo


O oídio (Sphaerotheca fuliginea) é uma doença importante para o meloeiro e ocorre com freqüência nas regiões produtoras do Nordeste brasileiro. Objetivando avaliar o efeito dessa doença na produção e no teor de sólidos solúveis totais de frutos do meloeiro, foi realizado um experimento, no Campo Experimental do Curu, da Embrapa Agroindústria Tropical, em Paraipaba, CE, no período de julho a setembro de 2003, constituído de dois tratamentos: a) plantas sadias e b) plantas doentes, colocados em duas faixas de 40 fileiras de 10 m com 20 plantas por fileira. As plantas sadias foram obtidas por meio de pulverizações preventivas semanais com pyrazophos (0,6 mL i.a. por litro de água). A severidade do oídio foi monitorada com base em uma escala diagramática, variando de 0 a 4. O início de infecção ocorreu 45 dias após o plantio, e a infecção máxima, aos 66 dias. Mesmo ocorrendo somente 45 dias após o plantio, o oídio afetou, significativamente, a produção e o teor de sólidos solúveis totais (SST) dos frutos do meloeiro, reduzindo em 13,3% a produção e em 22,2% o teor de SST. A análise de regressão entre a ocorrência de oídio e a produção e o SST revelou uma alta relação linear e inversa entre as variáveis estudadas.


Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.