Produção de anti-soro para o vírus do mosaico da abóbora mediante imunização oral de coelhos

Francisco de Assis Câmara Rabelo Filho, José Albérsio de Araújo Lima, Najara Frota Ramos, Maria de Fátima Barros Gonçalves, Karina Fernandes Carvalho

Resumo


Plantas de meloeiro (Cucumis melo) ‘Hy Mark’ foram utilizadas para a propagação do vírus do mosaico da abóbora (Squash mosaic virus, SqMV), família Comoviridae, gênero Comovirus, em condições de casa de vegetação. O vírus foi purificado a partir das plantas infetadas e a preparação viral, purificada na concentração de 10,00 mg/ml, em solução salina 0,15 M, foi usada para imunização de coelho por via oral. Dez doses de 1,0 ml cada foram administradas diariamente, em duas etapas. Outro coelho foi imunizado de forma semelhante, com extrato de folhas infetadas com o SqMV. Os extratos foram preparados em solução salina 0,15 M na proporção 1:1 e clarificados por centrifugação, sendo o sobrenadante usado na imunização oral. Os anti-soros obtidos foram avaliados por dupla difusão em Agar. O anti-soro do coelho imunizado com a preparação purificada reagiu com extratos de plantas infetadas pelo vírus, com o título de 1024, sem apresentar reação com extratos de plantas sadias. O anti-soro obtido do coelho imunizado com o extrato de planta infetada apresentou título de 4. Os resultados obtidos confirmam a eficiência da imunização oral na produção de anti-soro para diagnose de vírus de planta.


Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.