Germinação de arroz irrigado e de biótipos de arroz-vermelho submetidas a diferentes temperaturas

Gerson Meneghetti Sarzi Sartori, Enio Marchesan, Cristian Fernandes Azevedo, Lucas Lopes Coelho, Maurício Limberger de Oliveira

Resumo


O arroz-vermelho é a principal planta daninha do arroz irrigado, pois afeta a produtividade e qualidade. Objetivou-se avaliar a ação de diferentes temperaturas na dinâmica de germinação do genótipo de arroz Puitá INTA CL e de biótipos de arroz-vermelho, com e sem superação da dormência. O trabalho foi realizado em 2011, em câmara B.O.D e Fitotron na Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria - RS. O delineamento foi inteiramente casualizado com quatro repetições. O fator (A) foi composto pelas temperaturas 13; 17; 21 e 25 °C e o fator (D) pela cultivar Puitá INTA CL e três biótipos com e sem dormência. Avaliaram-se os parâmetros: germinação de sementes (GS), índice de velocidade de emergência (IVE), coeficiente de uniformidade de emergência (CUE) e comprimento da parte aérea (CPA). Ocorreu aumento da GS, do IVE, do CUE e do CPA dos biótipos de arroz-vermelho com o aumento da temperatura de 13 °C para 25 °C. Nas temperaturas de 13 e 17 °C o genótipo apresentou germinação 64% maior que a média dos biótipos sem superação da dormência, já aos 21 e 25 °C foi de 11% apenas. Os biótipos apresentaram germinação 56% maior nas temperaturas de 21 e 25 °C, comparado aos 13 e 17 °C. As temperaturas de 13 e 17 °C causam menor germinação de arroz-vermelho sem superação de dormência. Como estratégia de controle de arroz-vermelho em áreas de arroz irrigado, é recomendado priorizar a semeadura do arroz no início da época recomendada (setembro e início de outubro), período em que as temperaturas do ar e do solo são mais baixas.


Palavras-chave


Oryza sativa; Germinação; Dormência

Texto completo:

PDF

Referências


AGOSTINETTO, D. et al. Arroz vermelho: ecofisiologia e estratégias de controle, Ciência Rural, v. 31, n. 2, p. 341-349, 2001.

BEWLEY, J. D. Seed Germination and Dormancy. Plant Cell, v. 9, n. 1, p. 1055-1066, 1997.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Brasília: Mapa/ACS, 2009. 399 p.

CRUZ, R, P, da; MILACH, S, C, K. Cold tolerance at the germination stage of rice: methods of evaluation and characterization of genotypes, Science Agricola, v. 61, n. 1, p. 1-8, 2004.

DELATORRE, C. A. Dormência em sementes de arroz vermelho, Ciência Rural, v. 29, n. 3, p.565-571, 1999.

MARCOS FILHO, J. Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Piracicaba: Fealq, 2005. 495 p.

FOGLIATTO, S.; VIDOTTO, F.; FERRERO, A. Germination of Weedy Rice in Response to Field Conditions during Winter, Weed Technology, v. 25, n. 2, p. 252-261, 2011.

FONTANA, L.C. et al. Controle de arroz-vermelho (Oryza sp.) com o herbicida nicosulfuron ou a mistura formulada de imazethapyr + imazapic, Planta Daninha, v. 25, n. 4, p. 783-790, 2007.

GEALY, D. R.; SALDAIN, N. E.; TALBERT, R.E. Emergence of red rice (Oryza sativa) ecotypes under dry-seeded rice (Oryza sativa) culture. Weed Technology, v. 14, n. 2, p. 406-412, 2000.

GIANINETTI, A. et al. Ethylene Production is Associated with Germination but not Seed Dormancy in Red Rice. Annals of Botany, v. 99, n. 4, p. 735-745, 2007.

GIANINETTI, A.; VERNIERI, P. On the role of abscisic acid in seed dormancy of red rice. Journal of Experimental Botany, v. 58, n. 12, p. 3449-3462, 2007.

GIANINETTI, A.; COHN, M. A. Seed dormancy in red rice. XIII: Interaction of dry-afterripening and hydration temperature. Seed Science Research, v. 18, n. 3, p. 151-159, 2008.

HAYASHI, M. Relationship between endogenous germination inhibitors and dormancy in rice seeds. Japan Agricultural Research Quarterly, v. 21, n. 3, p. 153-161. 1987.

MARCHESAN, E. et al. Arroz tolerante a imidazolinonas: banco de sementes de arroz-vermelho e fluxo gênico. Planta Daninha, v. 29, n. esp, p. 1099-1105, 2011.

MARCHESAN, E. et al. Carryover of imazethapyr and imazapic to notolerant rice. Weed Technology, v. 24, n. 1, p. 6-10, 2010.

MENEZES, V. G. et al. Caracterização de biótipos de arroz-vermelho em lavouras de arroz no estado do rio grande do sul. Planta Daninha, v. 20, n. 2, p. 221-227, 2002.

MENEZES, N. L.; FRANZIN, S. M.; BORTOLOTTO, R. P. Dormência de sementes em arroz: causas e métodos de superação. Revista de Ciências Agro-Ambientais, v. 07, n. 1, p. 35-44, 2009.

MERTZ, L. M. et al. Alterações fisiológicas em sementes de arroz expostas ao frio na fase de germinação. Revista Brasileira de Sementes, v. 31, n. 2, p. 254-262, 2009.

NOLDIN, J.A. et al. Desempenho de populações híbridas F2 de arroz-vermelho (Oryza sativa) com arroz transgênico (O. sativa) resistente ao herbicida amonio-glufosinate. Planta Daninha, v. 22, n. 3, p. 381-395, 2004.

SCHWANKE, A. M. L. et al. Avaliação de germinação e dormência de ecótipos de arroz-vermelho. Planta Daninha, v. 26, n. 3, p. 497-505, 2008.

SHIVRAIN, V. K. et al. Red rice (Oryza sativa) emergence characteristics and influence on rice yield at different planting dates. Weed Science, v. 57, n. 1, p. 94-102, 2009.

VIEIRA, R. D.; CARVALHO, N. M. Teste de vigor de sementes. Jaboticabal: Funep. 1994. 55 p

YOUNG-SON CHO. Germination Characteristics of Korean and Southeast Asian Red rice (Oryza sativa L.) Seeds as Affected by Temperature. Asian Journal of Plant Sciences, v. 9, n. 2, p. 104-107, 2010.

YOSHIDA, S. Fundamental of rice crop science. Los Baños: International Rice Research Institute, 1981. 269 p.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.