Aplicação de recobrimento prolonga a qualidade pós-colheita de laranja ‘Valência Delta’ durante armazenamento ambiente

Gerlândia da Silva Pereira, Francisca Ligia de Castro Machado, José Maria Correia da Costa

Resumo


O objetivo desse trabalho foi avaliar o efeito da aplicação de cera à base de carnaúba na qualidade e conservação da laranja cv. ‘Valência Delta’, produzida em área de clima semiárido durante o armazenamento ambiente (24 °C ± 2 e 40% ± 5 U.R.). A influência da utilização do recobrimento nas propriedades físicas (perda de massa, umidade da casca e coloração do flavedo) e físico-químicas (sólidos solúveis, acidez titulável, pH, relação sólidos solúveis/acidez titulável, ácido ascórbico, flavonóides amarelos e polifenóis totais) foi avaliada a cada quatro dias, por um período de 28 dias. Observou-se perda de massa crescente durante o armazenamento; no entanto, os frutos recobertos perderam massa a taxas bem menores que os frutos controle. Em concordância, a umidade da casca diminuiu durante o armazenamento, sendo mais pronunciada nos frutos controle. Os teores de sólidos solúveis, acidez titulável, ácido ascórbico, flavonóides amarelos e polifenóis totais aumentaram, enquanto a relação sólidos solúveis/acidez titulável e pH decresceram ao longo do armazenamento. A aplicação de recobrimento à base de carnaúba prolongou a vida útil pós-colheita da laranja ‘Valência Delta’, cultivada no Estado do Ceará, através de uma significativa redução na perda de massa, intensificação do brilho do flavedo e manutenção das propriedades físicas e físico-químicas durante o armazenamento ambiente.

Palavras-chave


Laranja; Cera de carnaúba; Pós-colheita

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS. Official methods of analysis. 16. ed. Arlington: AOAC, 1995. 1141 p.

AULER, P. A. M.; FIORI-TUTIDA, A. C. G.; SCHOLZ, M. B. S. Qualidade industrial e maturação de frutos de laranjeira ‘Valência’ sobre seis porta-enxertos. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 31, n. 4, p. 1158-1167, 2009.

BUCIC-KOJIC, A. et al. Study of solid–liquid extraction kinetics of total polyphenols from grape seeds. Journal of Food Engineering, v. 81, n. 1, p. 236-242, 2007.

COUTO, M. A. L.; CANNIATTI-BRAZACA, S. G. Quantificação de vitamina C e capacidade antioxidante de variedades cítricas. Ciência e Tecnologia de Alimentos, v. 30, n. 1, p. 15-19, 2010.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE OBRAS CONTRA AS SECAS. Perímetro irrigado Jaguaribe-Apodi. Fortaleza: DNOCS, 2011. Disponível em: . Acesso em: 31 ago. 2011.

DUZZIONI, A. G. et al. Determinação da atividade antioxidante e de constituintes bioativos em frutas cítricas. Alimentos e Nutrição, v. 21, n. 4, p. 643-649, 2010.

FRANÇA, F. M. C. Documento referencial do pólo de desenvolvimento integrado baixo Jaguaribe no Estado do Ceará. Disponível em: . Acesso em: 30 mai. 2010.

FRANCIS, F. J. Analysis of anthocyanins. In: MARKAKIS, P. (Ed.). Anthocyanins as food colors. New York: Academic Press, 1982. p. 181-207.

FRATA, M. T. Sucos de laranja: abordagem química, física, sensorial e avaliação de embalagens. 2006. 228 f. Tese (Doutorado em Ciência de Alimentos) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2006.

HAGENMAIER, R. D. A comparison of ethane, ethylene and CO2 peel permeance for fruit with different coatings. Postharvest Biology and Technology, v. 37, n. 1, p. 56-64, 2005.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. 4. ed. São Paulo, 2004. 1032 p.

JOMORI, M. L. L. et al. Conservação refrigerada de lima ácida ‘Tahiti’: uso de 1-metilciclopropeno, ácido giberélico e cera. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 25, n. 3, p. 406-409, 2003.

LADANIYA, M. S. Citrus fruit: biology, technology and evaluation. Goa, India: Academic Press, 2008. p. 333.

LEME, A. C. et al. Influência do uso de películas comestíveis em laranja pêra minimamente processada. Boletim do Centro de Pesquisa e Processamento de Alimentos, v. 25, n. 1, p. 15-24, 2007.

LIM, Y. Y.; LIM, T. T.; TEE, J. J. Antioxidant properties of several tropical fruits: a comparative study. Food Chemistry, v. 103, n. 3, p. 1003-1008, 2007.

MALGARIM, M. B.; CANTILLANO, R. F. F.; TREPTOW, R. O. Armazenamento refrigerado de laranjas cv. Navelina em diferentes concentrações de cera à base de carnaúba. Acta Scientiarum Agronomica, v. 29, n. 1, p. 99-105, 2007.

MAYUONI, L. et al. Does ethylene degreening affect internal quality of citrus fruit? Postharvest Biology and Technology, v. 62, n. 1, p. 50-58, 2011.

McGUIRE, R. G. Reporting of objective colour measurements. HortScience, v. 27, n. 12, p. 1254-1255, 1992.

OLIVEIRA, R. P.; NAKASU, B. H.; SCIVITTARO, W. B. Cultivares apirênicas de citros recomendadas para o Rio Grande do Sul. Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2008. 42 p., (Embrapa Clima Temperado, Documento, 195).

PEREIRA, A. C. S. Qualidade, compostos bioativos e atividade antioxidante total de frutas tropicais e cítricas produzidas no Ceará. 2009. 122 f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2009.

RAPISARDA, P. et al. Effect of cold storage on vitamin C, phenolics and antioxidant activity of five orange genotypes [Citrus sinensis (L.) Osbeck]. Postharvest Biology and Technology, v. 49, n. 3, p. 348-354, 2008.

RODOLFO JÚNIOR, F. et al. Caracterização físico-química de frutos de mamoeiro comercializados na EMPASA de Campina Grande-PB. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, v. 9, n. 1, p. 53-58, 2007.

SINGH, K. K.; REDDY, B. S. Post-harvest physico-mechanical properties of orange peel and fruit. Journal of Food Engineering, v. 73, n. 2, p. 112-120, 2006.

STROHECKER, R.; HENNING, H. M. Analisis de vitaminas: métodos comprobados. Madrid: Paz Montalvo, 1967. 428 p.

TAZIMA, Z. H. et al. Comportamento de clones de laranja ‘Valência’ na região norte do Paraná. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 30, n. 4, p. 970-974, 2008.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.