Mumificação fetal em uma vaca com gestação gemelar e retenção dos fetos na vagina: relato de caso

Airton Alencar de Araújo, Alline Ferreira Brasil, Arlindo Alencar Araripe Noronha Moura, Aletheia Carizia Baracho de Lima

Resumo


Este artigo descreve o caso de uma vaca Pardo Suíço de 59 meses, com dois fetos mumificados na vagina, ocorrido na região semi-árida do Nordeste brasileiro. De acordo com os registros reprodutivos do rebanho, a vaca estava no sétimo mês da sua segunda gestação quando os fetos foram encontrados na vagina. A vaca mostrou sinais normais de estro, bem como atividade de monta. Os cornos uterinos não apresentavam assimetria, estavam contráteis, túrgidos e não havia secreção vaginal purulenta. Entretanto, um folículo pré-ovulatório (18,5 mm) foi detectado no ovário direito. Foi observado que os dois fetos mumificados eram machos, medindo 12,1 cm e 11,5 cm. A mumificação, neste caso, é classificada provavelmente “hematógena”, porque os fetos apresentavam-se parcialmente secos, mas não muito rígidos e cobertos por um tecido viscoso e sanguinolento. A saída dos fetos do útero para a vagina permitiu uma involução uterina normal, regressão do corpo lúteo e retorno da atividade hipotalâmica-hipofisária-gonadal, confirmado pelo comportamento de estro. Após a remoção dos fetos da vagina, a vaca recebeu duas doses de oxitetraciclina, com intervalo de 48 horas, para prevenção de infecção uterina, sendo observado estro 20 dias depois e realizada Inseminação Artificial (IA), com confirmação de gestação aos 40 dias por palpação retal.


Palavras-chave


dairy cow, gestation, mummified fetuses.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.