Qualidade fisiológica de sementes de feijão crioulo produzidas no oeste e planalto catarinense

Adelina Ferreira Michels, Clovis Arruda Souza, Cileide Maria Medeiros Coelho, Marcio Zilio

Resumo


O trabalho foi realizado com o objetivo de caracterizar genótipos crioulos de feijão quanto ao potencial fisiológico das sementes produzidas em diferentes regiões de Santa Catarina, por duas safras consecutivas. Foram utilizados sementes de 26 genótipos, produzidas nas safras 2009/2010 e 2010/2011 nos municípios de Anchieta, Joaçaba e Lages. Após o procedimento de amostragem para amostra média e amostra de trabalho, foram realizados os testes de germinação 1ª e 2ª contagem, condutividade elétrica, envelhecimento acelerado, emergência em campo, peso de mil sementes e produtividade. Com base na análise dos resultados, os genótipos foram separados em classes pelo teste Scott-Knott. A qualidade fisiológica de sementes de feijão foi influenciada pelo genótipo e pelo ambiente e a expressão do potencial de cada genótipo foi dependente das condições favoráveis no ambiente de cultivo. Os genótipos crioulos BAF13 e BAF55 foram superiores aos demais e se destacaram na produtividade e qualidade fisiológica de sementes. O município de Lages foi o local de maior produtividade e de melhor qualidade de sementes na safra 2009/2010.

Palavras-chave


Phaseolus vulgaris; Germinação; Variabilidade genética; Vigor

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SEMENTES E MUDAS. Anuário Abrasem 2011. Brasília/DF: ABRASEM. Disponível em: Acesso em: 11 set. 2011.

ALBUQUERQUE, M. C. F. et al. Teste de condutividade elétrica e de lixiviação de potássio na avaliação da qualidade fisiológica de sementes de girassol. Revista Brasileira de Sementes, v. 23, n. 1, p. 01-08, 2001.

AMBROSANO, E. J. et al. Efeito da abudação nitrogenada e com micronutrientes na qualidade de sementes do feijoeiro cultivar IAC-carioca. Bragantia, v. 58, n. 2, p. 393-399, 1999.

BOTELHO, F. J. E. et al. Desempenho fisiológico de sementes de feijão colhidas em diferentes períodos do desenvolvimento. Ciência e Agrotecnologia, v. 34, n. 4, p. 900-907, 2010.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Instrução Normativa 25/2005, de 16 de dezembro de 2005 (Anexo V- padrões para produção e comercialização de sementes de feijão). Brasília/DF, 2005. 18 p. Disponível em: Acesso em: 05 nov. 2011.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Regras para análise de sementes. Brasília: MAPA/ACS, 2009. 399 p.

COELHO, C. M. M. et al. Diversidade genética em acessos de feijão (Phaseolus vulgaris L.). Ciência Rural, v. 37, n. 5, p. 1241-1247, 2007.

COELHO, C. M. M. et al. Potencial fisiológico em sementes de cultivares de feijão crioulo (Phaseolus vulgaris L.). Revista Brasileira de Sementes, v. 32, n. 3, p. 097-105, 2010.

COIMBRA, J. L. M. et al. Reflexos da interação genótipo X ambiente e suas implicações nos ganhos de seleção em genótipos de feijão (Phaseolus vulgaris L.). Ciência Rural, v. 29, n. 3, p. 433-439, 1999.

COMISSÃO DE QUÍMICA E FERTILIDADE DO SOLO. Manual de adubação e de calagem para os estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Porto Alegre: SBCS - Núcleo Regional Sul/UFRGS, 2004. 400 p.

COMISSÃO TÉCNICA SUL-BRASILEIRA DE FEIJÃO. Informações técnicas para o cultivo do feijão na Região Sul brasileira - 2009. Florianópolis: Epagri, 2010. 163 p.

DIDONET, A. D.; VITÓRIA, T. B. Resposta do feijoeiro comum ao estresse térmico aplicado em diferentes estágios fenológicos. Pesquisa Agropecuária Tropical, v. 36, n. 3, p. 199-204, 2006.

DUTRA, A. S.; TEÓFILO, E. M. Envelhecimento acelerado para avaliar vigor de sementes de caupi. Revista Brasileira de Sementes, v. 29, n. 1, p. 193-197, 2007.

DUTRA, A. S. et al. Qualidade fisiológica de sementes de feijão caupi em quatro regiões do estado do Ceará. Revista Brasileira de Sementes, v. 29, n. 1, p. 111-116, 2007.

ELIAS, H. T. et al. Variabilidade genética em germoplasma tradicional de feijão-preto em Santa Catarina. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 42, n. 10, p. 1443-1449, 2007.

EMPRESA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA E EXTENSÃO RURAL DE SANTA CATARIANA. Atlas Climatológico do Estado de Santa Catarina Online. Lages: Disponível em: Acesso em: 02 set. 2008.

FERREIRA, D. F. Análises estatísticas por meio do Sisvar para Windows versão 4.0. In: REUNIÃO ANUAL DA REGIÃO BRASILEIRA DA SOCIEDADE INTERNACIONAL DE BIOMETRIA, 4., 2000, São Carlos, SP. Anais... São Carlos, SP: UFSCar, 2000. p. 255-258.

HOFFMANN JUNIOR, L. et al. Resposta de cultivares de feijão à alta temperatura do ar no período reprodutivo. Ciência Rural, v. 37, n. 6, p. 1543-1548, 2007.

KRUSE, N. D. et al. Estresse oxidativo em girassol (Helianthus annuus) indica sinergismo para a mistura dos herbicidas metribuzin e clomazone. Planta Daninha, v. 24, n. 2, p. 379-390, 2006.

KRZYZANOWSKI, F. C.; VIEIRA, R. D.; FRANÇA NETO, J. B. Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina/PR: ABRATES, 1999. 218 p.

MIRA, S. et al. Biochemical changes induced in seeds of Brassicaceae wild species during ageing. Acta Physiologiae Plantarum, v. 33, n. 5, p. 1803-1809, 2011.

MUASYA, R. M.; LOMMEN, W. J. M.; STRUIK, P. C. Differences in development of common bean (Phaseolus vulgaris. L.) crops and pod fractions within a crop. II Seed viability and vigour. Field Crops Research, v. 75, n. 1, p. 79-89, 2002.

RAMALHO, M. A. P.; SANTOS, J. B., ZIMMERMANN, M. J. de O. Genética quantitativa de plantas autógamas: aplicações ao melhoramento do feijoeiro. Goiânia: UFG, 1993. 271 p.

RIBEIRO, N. D. et al. Estabilidade de produção de cultivares de feijão de diferentes grupos comerciais no estado do Rio Grande do Sul. Bragantia, v. 68, n. 2, p. 339-346, 2009.

SANTOS, C. M. R.; MENEZES, N. L.; VILLELA, F. A. Teste de deterioração controlada para avaliação do vigor de sementes de feijão. Revista Brasileira de Sementes, v. 25, n. 2, p. 28-35, 2003.

______. Alteração fisiológica e bioquímica em sementes de feijão envelhecidas artificialmente. Revista Brasileira de Sementes, v. 26, n. 1, p. 110-119, 2004.

SANTOS, E. L. et al. Qualidade fisiológica e composição química das sementes de soja com variação na cor do tegumento. Revista Brasileira de Sementes, v. 29, n. 1, p. 20-26, 2007.

SAS. SAS Institute Inc® 2003. Cary, NC: SAS Institute Inc, 2003.

SCHUCH, L. O. B. et al. Emergência no campo e crescimento inicial de aveia preta em resposta ao vigor de sementes. Revista Brasileira de Agrociência, v. 6, n. 1, p. 097-101, 2000.

TEIXEIRA, I. R. et al. Desempenho agronômico e qualidade de sementes de cultivares de feijão-caupi na região do cerrado. Revista Ciência Agronômica, v. 41, n. 1, p. 300-307, 2010.

ZILIO, M. et al. Contribuição dos componentes de rendimento na produtividade de genótipos crioulos de feijão (Phaseolus vulgaris L.). Revista Ciência Agronômica, v. 42, n. 2, p. 429-438, 2011.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.