Comportamento da mosca-branca (Bemisia tabaci biótipo B) em sistemas de plantio de coentro, melancia e melão

Rosileide de Souza Costa, Ervino Bleicher

Resumo


O presente trabalho teve por objetivo verificar o comportamento da mosca-branca Bemisa tabaci Gennadius biótipo B (Hemiptera: Aleyrodidae) em arranjos de plantio incluindo coentro (Coriandrum sativum L.) associado ao melão (Cucumis melo L.) e melancia (Citrullus lanatus Thumb. Mansf.). Os ensaios foram conduzidos em casa de vegetação, em Fortaleza-CE entre 2003 e 2004, num delineamento inteiramente casualizado com quatro repetições. Os ensaios de melancia quando associados ao coentro e melão foram conduzidos da seguinte forma: 14 dias após o plantio da melancia as plantas eram colocadas no interior da gaiola e liberou-se o equivalente a 50 adultos da mosca-branca por planta. A desinfestação foi feita cinco dias após o início da infestação. Utilizou-se o mesmo método para os experimentos de melão associado ao coentro. A avaliação dos tratamentos foi efetuada, quando as plantas de melão e melancia estavam com idade de 25 dias decorridos do plantio, retirando-se uma área circular de 2,8 cm2, de quatro folhas distintas e as mais velhas de cada planta de melão, melancia e três ramos de coentro, nas quais foram contadas o número de ninfas do inseto. Verificou-se que o melão é menos preferido pela mosca-branca na presença do coentro, por outro lado o coentro, quando associado à melancia, planta menos preferida pela mosca-branca, em ambiente restrito, pode desencadear um processo de hormoligose neste inseto.


Palavras-chave


Cucurbitaceae, Coriandrum sativum L., repelent plant, hormologisys.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.