Eficiência agronômica da adubação potássica na alface adubada com fontes alternativas de nutrientes

Douglas Ramos Guelfi-Silva, Giuliano Marchi, Carlos Roberto Spehar, Luiz Roberto Guimarães Guilherme, Valdemar Faquin

Resumo


O objetivo desse estudo foi avaliar o efeito da aplicação de fontes alternativas de nutrientes na nutrição, produção e eficiência da adubação potássica na alface. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, em vasos com 3,7 kg preenchidos com um Latossolo Vermelho Amarelo distrófico de textura média. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado e os tratamentos foram distribuídos em arranjo fatorial 4 x 6, sendo quatro doses de potássio (0; 200; 400; 600 kg ha-1 de K2O) e seis fontes alternativas de nutrientes (brecha, ultramáfica, biotita xisto, flogopitito, subproduto de mineração e subproduto de chapada), com quatro repetições. Foram determinados o teor e o acúmulo de potássio (K), cobre (Cu), zinco (Zn) e níquel (Ni) na parte aérea da alface e com esses dados foram calculados dois índices de eficiência da adubação potássica. As aplicações de doses crescentes das fontes alternativas de nutrientes promoveram melhorias na nutrição e aumentos na produção da alface. A eficiência da adubação potássica diminuiu com o aumento nas doses de potássio aplicadas pelas fontes alternativas de nutrientes, sendo que o subproduto de mineração e a ultramáfica foram superiores às demais fontes. Diante disso, pode-se afirmar que as rochas silicáticas moídas e os subprodutos de mineração constituem uma opção para adubação em sistemas de produção orgânica e convencional.


Palavras-chave


Lactuca sativa L.; Rochas silicáticas; Subproduto de mineração

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.