Efeitos de auxina e nebulização no enraizamento de estacas herbáceas e lenhosas de figueira

Cleiton Mateus Sousa, Rubens Nei Busquet, Marco Antônio da Silva Vasconcellos, Ricardo Motta Miranda

Resumo


A propagação da figueira predomina com o uso de estacas lenhosas obtidas após a poda de plantas matrizes. Visando otimizar a propagação da figueira, avaliou-se os efeitos da auxina e da nebulização no enraizamento de estacas herbáceas e lenhosas de figueira. Foi implantado um experimento em fatorial 2x2x2, sendo dois tipos de estacas (herbáceas e lenhosas), dois níveis de auxina (0 e 1.000 mg L-1 de ácido indolbultírico) e dois ambientes (com ou sem nebulização). Aos 30 dias após a implantação do experimento, avaliou-se o enraizamento, comprimento da radícula, brotação e perdas. A interação do tipo de estaca e auxina foi significativa para enraizamento, brotação, comprimento da radícula e perdas de estacas. A nebulização não interferiu nas variáveis analisadas. Na ausência de auxina não houve diferença entre os tipos de estacas para o enraizamento, comprimento da radícula e brotação, enquanto, a aplicação de auxina (1.000 mg L-1) proporcionou redução para estas variáveis. A produção de mudas de figueira pode ser realizada a partir de estacas herbáceas ou lenhosas e dispensa o uso de auxina e nebulização.

Palavras-chave


Figo; Efeito da auxina; Propagação de plantas; Estaquia

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.