Emergência, crescimento e produção da mamoneira sob estresse salino e adubação nitrogenada

Reginaldo Gomes Nobre, Geovani Soares de Lima, Hans Raj Gheyi, Givanildo da Silva Lourenço, Lauriane Almeida dos Anjos Soares

Resumo


O uso de água salina na atividade agrícola vem se tornando uma realidade em diversas regiões do mundo, tendo em vista o aumento na demanda por água doce, tanto para agricultura irrigada, como no abastecimento urbano e industrial. Neste sentido, objetivou-se com esta pesquisa avaliar o efeito de diferentes níveis de salinidade da água de irrigação associada a doses de adubação nitrogenada, sobre a emergência, crescimento e produção da mamoneira cv. BRS Energia, em experimento onde as plantas foram conduzidas em lisímetros sob condições de campo, no CCTA/UFCG. Utilizou-se a aleatoriedade em bloco em esquema fatorial 5 x 5, com três repetições, sendo estudados os efeitos de cinco níveis de condutividade elétrica da água de irrigação (0,4; 1,4; 2,4; 3,4 e 4,4 dS m-1) associados a cinco doses de adubação nitrogenada (50; 75; 100; 125 e 150% da dose recomendada para ensaios em vaso). A salinidade da água de irrigação a partir de 0,4 dS m-1 afeta linear e negativamente a percentagem de emergência (PE), o índice de velocidade de emergência (IVE), a altura de planta (AP), o diâmetro caulinar (DC), a fitomassa seca da parte aérea (FSPA) e de raiz (FSRaiz) e a massa de sementes do racemo primário (MSemRP), enquanto que doses crescentes de nitrogênio promoveram aumento no DC, na FSPA e na FSRaiz. A aplicação de doses crescentes de N reduziu o efeito da salinidade sobre o DC e a FSRaiz da mamoneira cv. BRS Energia.

Palavras-chave


Mamona; Plantas-efeito do sal; Adubação nitrogenada

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.