Germinação e vigor de sementes de pimenta-longa (Piper hispidinervum) em função da temperatura e da luz

Francisco Pacheco Junior, Josué Bispo da Silva, Jacson Rondinelli da Silva Negreiros, Mirla Rose Gomes da Silva, Sirlley Braga Farias

Resumo


A pimenta longa é considerada uma espécie promissora por apresentar a perspectiva de tornar o Brasil autosuficiente na produção de safrol, importante óleo essencial usado como fixador de fragrâncias e com propriedades terapêuticas. Na implantação de áreas destinadas à cultura dessa espécie é necessário avaliar a qualidade fisiológica das sementes utilizadas na formação de mudas. O objetivo foi determinar as condições de temperatura e luminosidade para o teste de germinação e vigor em sementes de pimenta longa. Foram utilizadas sementes de quatro lotes para as seguintes determinações: teor de água (105 ± 3 oC por 24 horas), germinação (20; 25; 30 e 35 °C com fotoperíodo de 12 e 24 horas, e alternadas de 20-30 °C e 20-35 °C, com 12 horas de luz na temperatura mais alta), índice de velocidade de germinação, velocidade de germinação, matéria seca de plântulas, emergência de plântulas, índice de velocidade de emergência e freqüência relativa da germinação. O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado e as médias comparadas por Tukey (P≤0,05). A germinação de sementes de pimenta longa pode ser avaliada a 25 °C/12 h escuro - 12 h luz, 25 °C/24 h luz, 30 °C/12 h escuro - 12 h luz e 30 °C/24 h luz, e o potencial fisiológico a 30 °C/24 h luz.

Palavras-chave


Pimenta longa; Potencial fisiológico; Sementes florestais

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.