Variabilidade espacial da textura de dois solos do Deserto Salino, no Estado do Rio Grande do Norte

Alessandra Monteiro Salviano Mendes, Renildes Lúcio Ferreira Fontes, Maurício de Oliveira

Resumo


Este trabalho teve como objetivo avaliar a variabilidade espacial da textura do solo, em duas áreas do “Deserto Salino”, na região da planície aluvial do Rio Apodi/Mossoró-RN. Para atingir esse objetivo, utilizaram-se técnicas de geoestatística. As áreas foram georeferenciadas em imagens de satélite (LandSat TM-7), empregando-se um GPS portátil. O esquema de amostragem foi ao acaso com 60 unidades amostrais, com volume de 1 dm3, coletadas na camada de 0 a 5 cm. Com exceção do teor de areia grossa no Vertissolo hidromórfico, todos os demais componentes granulométricos, em ambos os solos, apresentaram dependência espacial, sendo o esférico e o exponencial os modelos ajustados aos semivariogramas. O valor do efeito ‘pepita’ teve pequena contribuição na variância total dos dados e as variáveis apresentaram forte dependência espacial. Houve grande variação na distância até onde as variáveis estudadas apresentaram dependência espacial (alcance), tanto dentro das áreas como entre as áreas estudadas para a maioria das variáveis, indicando que a utilização de um mesmo esquema de amostragem não é apropriado quando se trabalha com muitas variáveis. Por meio dos mapas de ‘krigagem’, identificaram- se padrões semelhantes de distribuição espacial para algumas características físicas em função da dinâmica da água.

Palavras-chave


Geostatistic. Granulometry. Spatial distribution.

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.