Genetic divergence and phosphorus use efficiency in the soybean with a view to biodiesel production

Evandro Reina, Joênes Mucci Peluzio, Flavio Sérgio Afférri, Waldesse Piragé Oliveira Junior, Susana Cristine Siebeneichler

Resumo


A cultura da soja tem papel importante na questão do biodiesel, por apresentar potencial produtivo e viabilidade técnica capaz de atender parte da crescente demanda por combustíveis renováveis. No ano agrícola 2009/10, foram realizados quatro ensaios de competição de cultivares de soja, sendo dois no Campus Universitário de Palmas e outros dois no Campus Universitário de Gurupi e realizado um estudo de divergência genética. Em cada local, as cultivares foram conduzidas sob alto e baixo fósforo (150 kg ha-1 de P2O5 e 30 kg ha-1 de P2O5 respectivamente). O delineamento experimental utilizado, em cada ensaio, foi de blocos casualisados com três repetições e 11 tratamentos. Foi estudada a característica percentagem de óleo e determinada a eficiência do uso de fósforo pelas cultivares, através da metodologia adaptada de Fischer (1983). A divergência genética foi avaliada por meio de procedimentos multivariados: distância generalizada de Mahalanobis e método de agrupamento de otimização de Tocher. No estudo da divergência genética, cada ensaio representou uma variável distinta no modelo multivariado. As cultivares M-SOY 9350, M 8766RR e BR/EMGOPA 314 são as mais indicadas para a produção de biodiesel. As hibridações M 8766RR x M 9056RR, BR/EMGOPA 314 x M  9056RR, P98R91 x M  9056RR são promissoras para obtenção de populações segregantes para teor de óleo.

Palavras-chave


Glycine max; Teor de óleo; Bicombustível

Texto completo:

PDF

Referências


ALBRECHT, L. P. et al. Teores de óleo, proteína e produtividade de soja em função da antecipação da semeadura na região oeste do Paraná, Bragantina, v. 67, n. 4, p. 865-873, 2008.

BARBOSA, V. S. et al. Comportamento de cultivares de soja, em diferentes épocas de semeaduras, visando a produção de bicombustível. Revista Ciência Agronômica, v. 42, n. 3, p. 742-749, 2011.

CEOLIN, A. C. G. et al. Genetic divergence of the common bean (Phaseolus vulgaris L.) group carioca using morpho-agronomic traits by multivariate analyses. Hereditas, v. 144, n. 1, p. 1-9, 2007.

CLEMENTE, T. E.; CAHOON, E. B. Soybean oil: genetic approaches for modification of functionality and total content. Plant physiology, v. 151, n. 3, p. 1030-1040, 2009.

CRUZ, C. D.; REGAZZI, A. J.; CARNEIRO, P. C. S. Modelos biométricos aplicados ao melhoramento genético. 3. ed. Viçosa: UFV, 2004. 279 p.

CRUZ C. D. Programa Genes: Aplicativo computacional em genética e estatística. Versão Windows. Viçosa: UFV, 2007.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Tecnologias de Produção de Soja - Região Central do Brasil 2009-2010. Londrina, 2010. 262 p. (Sistemas de Produção, 13).

FEHR, W. R. et al. Stage of development descriptions for soybeans, Glycine max L. Merrill. Crop Scienc, v. 11, n. 6, p. 929-931, 1971.

FERRÃO, M. A. G. et al. Genetic divergence on common bean under tropical winter conditions. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 37, n. 8, p. 1089-1098, 2002.

FISCHER, K. S.; JOHNSON, E. C.; EDMEADS, G. O. Breeding and selection for drought in tropical maize. Mexico: CIMMYT, 1983.

GOLDEMBERG, J. NIGRO, F. E. B. COELHO, S. T. Bioenergia no Estado de São Paulo: situação atual, perspectivas, barreiras e propostas. São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008. 152 p.

INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas analíticas do instituto Adolfo Lutz. Métodos químicos e físicos para analise de alimentos. São Paulo: IAL, 2005. 317 p. v. 1.

LIAO, H. et al. Phosphorus and Aluminum Interactions in Soybean in Relation to Aluminum Tolerance. Exudation of Specific Organic Acids from Different Regions of the Intact Root System. Plant Physiology, v. 141, n. 2, p. 674-684, 2006.

MACHADO, C. D. et al. Genetic divergence among genotypes of common bean through of multivariates techniques. Ciência Rural, v. 32, n. 2, p. 251-258, 2002.

MAEHLER, A. R. et al. Qualidade de grãos de duas cultivares de soja em função da disponibilidade de água no solo e arranjo das plantas. Ciência Rural, v. 33, n. 2, p. 213-218. 2003.

MINUZZI, A. et al. Rendimento teores de óleo e proteínas de quatro cultivares de soja, produzidas em dois locais no estado do Mato Grosso do Sul. Ciência Agrotecnica, v. 33, n. 4, p. 80-93, 2009.

PELUZIO, J. M. et al. Desempenho de cultivares de soja, em duas épocas de semeadura, no sul do Estado de Tocantins. Bioscience Journal, v. 22, n. 2, p. 69-74, 2006.

PIAIA, F. L. et al. Eficiência da adubação fosfatada com diferentes fontes e saturação por bases na cultura da soja [Glycine max (L) merrill]. Ciencia e Agrotecnologia, v. 26, n. 3, p. 488-499, 2002.

RAO, C. R. Advanced statistical methodos in biometric research. New York: John Willey, 1952. 390 p.

RODRIGUES, L. S. et al. Divergência genética entre cultivares locais e cultivares melhoradas de feijão. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 37, n. 2, p. 1285-1294, 2002.

SCAPIM, C. A.; CARVALHO, C. G. P; CRUZ, C. D. Uma proposta de classificação dos coeficientes de variação para cultura do milho. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v. 30, n. 5, p. 683-686, 1995.

SBARDELOTTO, A. I. G.; LEANDRO G. V. Escolha de cultivares de soja com base na composição química dos grãos como perspectiva para maximização dos lucros nas indústrias processadoras. Ciência Rural, v. 38, n. 3, p. 614-619, 2008.

VALADÃO JUNIOR, D. et al. Adubação fosfatada na cultura da soja em Rondônia. Scientia Agraria, v. 9, n. 3, p. 369-375, 2008.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.