Variabilidade fenotípica e divergência genética em clones de batata doce no estado do Tocantins

Elainy Cristina Alves Martins, Joenes Mucci Peluzio, Ronaldo Rodrigues Coimbra, Waldesse Piragé de Oliveira Junior

Resumo


Com objetivo de avaliar a variabilidade fenotípica e a divergência genética entre 50 clones de batata doce, foi realizado um ensaio na Estação Experimental da Universidade Federal do Tocantins - Campus de Palmas, no ano agrícola 2009/2010. A divergência genética foi avaliada pelo método de agrupamento de otimização de Tocher. As características estudadas foram produtividade, produção de matéria seca, teor de amido e rendimento de etanol. O método de otimização por Tocher separou os clones em oito grupos geneticamente distintos. As características produtividade (70,15%) e rendimento em etanol (15,06%) foram as que mais contribuíram na divergência genética entre os clones. A presença de variabilidade genética permitiu a identificação de cultivares dissimilares e com média elevada indicando a possibilidade de seleção de genótipos superiores para as características estudadas. Os cruzamentos Duda x 22.19, Marcela x 22.19, Barbara x 22.19, Duda x Barbara, Amanda x 22.19, Amanda x Marcela são promissores para obtenção de híbridos divergentes.

Palavras-chave


Ipomoea batatas; Biomassa; Diversidade

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.