Aproveitamento de materiais alternativos na produção de mudas de tomateiro sob adubação foliar

José Valdenor da Silva Júnior, Márkilla Zunete Beckmann-Cavalcante, Leonardo Pereira da Silva Brito, Rodrigo Cirqueira Avelino, Ítalo Herbert Lucena Cavalcante

Resumo


A utilização dos resíduos orgânicos na composição dos substratos para mudas significa uma alternativa à reciclagem desses materiais. Objetivou-se avaliar as características agronômicas de mudas de tomateiro produzidas em materiais regionais alternativos utilizados como substrato e sob adubação foliar. O experimento foi conduzido em ambiente protegido no Campus da Universidade Federal do Piauí, em Bom Jesus-PI. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado, com os tratamentos distribuídos em esquema fatorial 5x2, referentes a cinco materiais utilizados como substratos na presença e ausência de adubação foliar (Vitam ®), com quatro repetições. Os materiais constaram de: 1) solo + areia + esterco bovino; 2) paú de buriti; 3) resíduo de carnaúba + casca de arroz; 4) resíduo de carnaúba em pó e 5) resíduo de carnaúba semi-decomposto. O cultivo foi feito em bandeja de poliestireno expandido com 128 células. Foram avaliados porcentagem de emergência, índice de velocidade de emergência, altura de planta, número de folhas, diâmetro do caule, comprimento da maior raiz, volume de raiz, massa fresca e massa seca da parte aérea e da raiz e massa seca total. O resíduo de carnaúba com casca de arroz e resíduo de carnaúba semi-decomposto apresentaram médias significativamente superiores aos demais materiais para todas as variáveis estudadas, exceto para a porcentagem de emergência e índice de velocidade de emergência. Independentemente do material usado como substrato na formação de mudas de tomateiro, exceto para o resíduo de carnaúba em pó, a aplicação de adubação foliar proporciona mudas de melhor qualidade.

Palavras-chave


Lycopersicon esculentum Mill.; Nutrição mineral; Propagação; Resíduos orgânicos

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, M. O.; COELHO, J. D. Tecnologia e relações sociais de produção no extrativismo da carnaúba no nordeste brasileiro. In: CONGRESSO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ECONOMIA E SOCIOLOGIA RURAL, 44., Fortaleza. Anais... Fortaleza: Sociedade Brasileira de Economia e Sociologia Rural, 2006. p. 9. 1 CD-ROM.

ANDRIOLO, J. L. et al. Caracterização e avaliação de substratos para o cultivo do tomateiro fora do solo. Horticultura Brasileira, v. 17, n. 3, p. 215-219, 1999.

BASSO, S. M. S. Caracterização morfológica e fixação biológica de nitrogênio de espécies de Adesmia DC. e Lotus L. 1999. 268 f. Tese (Doutorado em Zootecnia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.

BECKMANN-CAVALCANTE, M. Z. Características de substratos e concentrações de soluções nutritivas para o cultivo do crisântemo em vaso. 2007. 145 f. Tese (Doutorado em Agronomia) - Universidade Estadual Paulista, Jaboticabal, 2007.

BLOOM, A. J. et al. Root Development and Absorption of Ammonium and Nitrate from the Rhizosphere. Journal of Plant Growth Regulation, v. 21, p. 416-431, 2003.

BRITO, A. D. et al. Influência do pó de café coado na respiração microbiana do solo e sua utilização como substrato. Acta Tecnológica, v. 5, n. 2, p. 69-83, 2010.

CAMPANHARO, M. et al. Características físicas de diferentes substratos para produção de mudas de tomateiro. Caatinga. v. 19, n. 2, p.140-145, 2006.

CARRIJO, O. A.; LIZ, R. S.; MAKISHIMA, N. Fibra da casca do coco verde como substrato agrícola. Horticultura Brasileira, v. 20, n. 4, p. 533-535, 2002.

CARVALHO, N. M.; NAKAGAWA, J. Sementes: ciência, tecnologia e produção. 4. ed. Jaboticabal: Funep, 2000. 588 p.

CORREIA, D. et al. Uso do pó da casca de coco na formulação de substratos para formação de mudas enxertadas de cajueiro anão precoce. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 25, n. 3, p. 557-558, 2003.

COSTA, C. A. et al. Fibra de coco e resíduo de algodão para substrato de mudas de tomateiro. Horticultura Brasileira, v. 25, n. 3, p. 387-391, 2007.

LUZ, J. M. Q. et al. Composto orgânico de lixo urbano e vermiculita como substrato para produção de mudas de alface, tomate e couve-flor. Bioscience Journal, v. 20, n. 1, p. 67-74, 2004.

MAGUIRE, J. D. Speed of germination aid in selection and evolution for sidling emergence and vigor. Crop Science, v. 2, n. 2, p. 176-177, 1961.

MALAVOLTA, E.; VITTI, G. C.; OLIVEIRA, S. A. Avaliação do estado nutricional das plantas: princípios e aplicações. Piracicaba: Potafos, 1997. 201 p.

BRASIL. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Instrução normativa. DAS nº 17, de 21 de maio de 2007. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, 24 de maio de 2007, seção 1, p. 8.

MENEZES JUNIOR, F. O. G. et al. Caracterização de diferentes substratos e seu desempenho na produção de mudas de alface em ambiente protegido. Horticultura Brasileira, v. 18, n. 3, p. 164-170, 2000.

MORAL, R. et al. Characterization of the organic matter pool in manures. Bioresource Technology, v. 96, n. 2, p. 153-158, 2005.

PEREIRA, H. S; MELLO, S. C. Aplicações de fertilizantes foliares na nutrição e na produção do pimentão e do tomateiro. Horticultura Brasileira, v. 20, n. 4, p. 597-600, 2002.

RODRIGUES, E. T. et al. Produção de mudas de tomateiro em diferentes substratos e recipientes em ambiente protegido. Horticultura Brasileira, v. 28, n. 4, p. 483-488, 2010.

SAMPAIO, R. A. et. al. Produção de mudas de tomateiro em substratos contendo fibra de coco e pó de rocha. Horticultura Brasileira, v. 26, n. 4, p. 499-503, 2008.

SILVA, F. A. S. E; AZEVEDO, C. A. V. A. New Version of The Assistat-Statistical Assistance Software. In: WORLD CONGRESS ON COMPUTERS IN AGRICULTURE, 4, Orlando-FL-USA: Anais... Orlando: American Society of Agricultural Engineers, 2006. p. 393-396.

SILVEIRA, E. B. et al. Pó de coco como substrato para produção de mudas de tomateiro. Horticultura Brasileira, v. 20, n. 2, p. 211-216, 2002.

STEFFEN, G. P. K. et al. Casca de arroz e esterco bovino como substratos para a multiplicação de minhocas e produção de mudas de tomate e alface. Acta Zoológica Mexicana (nueva serie), v. 26, Número Especial 2, p. 333-343, 2010.




Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.