Produção do maracujazeiro e resistência mecânica do solo com biofertilizante sob irrigação com águas salinas

Thiago Jardelino Dias, Lourival Ferreira Cavalcante, Maurício Javier Leon, Gaudêncio Pereira Santos, Robson Pontes de Freitas Albuquerque

Resumo


O trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos de águas de irrigação com níveis crescentes de salinidade e frequências de aplicação de biofertilizante bovino sobre a produção do maracujazeiro amarelo e a resistência mecânica do solo à penetração (RSP). O experimento foi desenvolvido no município de Remígio (PB), com os tratamentos distribuídos em arranjo fatorial 5 x 4, correspondente aos valores de condutividade elétrica (CE) da água de irrigação: 0,5; 1,5; 2,5; 3,5 e 4,5 dS m-1 e quatro frequências de aplicação do biofertilizante: sem biofertilizante (SB), aplicação uma semana antes do transplantio (1 SAT), a cada 90 dias a partir do transplantio (90 DAT) e, uma semana antes e a cada 90 dias após o transplantio (1 SAT + 90 DAT). O aumento da CE das águas comprometeu a capacidade produtiva do maracujazeiro amarelo, em termos de número de frutos colhidos e produção por planta, sendo os maiores declínios registros nas plantas irrigadas com águas de CE igual e superior a 2,5 dS m-1. As maiores frequência de aplicação do insumo orgânico promoveram incremento da produção por planta. Os valores da RSP até a profundidade de 40 cm, apesar de aumentarem com a profundidade do perfil, foram abaixo de 2000 Kpa o que não compromete o crescimento radicular e a produtividade do maracujazeiro amarelo. As aplicações das águas salinas aumentaram a resistência mecânica com menores valores nos solos com o insumo orgânico aplicado 1 SAT + 90 DAT e aos 90 DAT.

Palavras-chave


Passiflora edulis; Produtividade; Penetrômetro; Salinidade; Efluente orgânico

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.