Salinidade modula negativamente a absorção e assimilação de NO3- em plantas de feijão de corda

Rafael Magalhães de Aragão, Jamille Santos da Silva, Cristina Silva de Lima, Joaquim Albenísio Gomes Silveira

Resumo


Realizou-se um estudo sobre a absorção e assimilação de NO3- em plantas de feijão de corda com o objetivo de analisar como os dois processos se relacionam frente a condições de salinidade, bem como, esclarecer possíveis mecanismos de modulação das plantas sob estresse salino. Plantas com 14 dias, crescidas em solução nutritiva (Sem NH4+), foram submetidas a KNO3 e NaCl 100 mM por dez dias. Avaliou-se a absorção e o conteúdo de NO3-, atividade da Redutase do Nitrato (RN), transpiração, proteínas solúveis e aminoácidos livres totais (ALT). A aplicação do NaCl resultou na redução da absorção líquida e no conteúdo de NO3-, principalmente, em raízes. A redução da atividade da RN foi positivamente correlacionada com a redução da transpiração, mas nenhuma relação foi estabelecida com a redução nos níveis e proteínas solúveis, que foi mais eminente em raízes. Os níveis de ALT foram superiores em raízes de plantas controle e tratadas com NaCl. Os resultados indicam um possível mecanismo de modulação devido a menores níveis de proteínas e maiores níveis de ALT em raízes sob condições de salinidade. Em resumo, a salinidade modula negativamente a absorção e assimilação de NO3- em plantas de feijão de corda, a princípio pela redução nos níveis de proteínas solúveis e pelo acúmulo de aminoácidos em raízes, e a inibição do tipo não-competitiva pelo NaCl indica que a competição entre NO3- e Cl- pelos sítios de absorção não é o fator mais limitante para modular a absorção no NO3.


Palavras-chave


Aminoácidos livres totais; Estresse salino; Nitrogênio; Vigna unguiculata

Texto completo:

PDF


Revista Ciência Agronômica ISSN 1806-6690 (online) 0045-6888 (impresso), Site: www.ccarevista.ufc.br, e-mail: ccarev@ufc.br - Fone: (85) 3366.9702 - Expediente: 2ª a 6ª feira - de 7 às 17h.